Tasso Marcelo|Estadão
Tasso Marcelo|Estadão

5 dicas básicas para economizar na hora de programar a sua viagem

Confira sites e aplicativos que podem auxiliar na pesquisa de hotéis, passagens e melhor época para arrumar as malas e cair na estrada

Seth Kugel, The New York Times

09 Fevereiro 2016 | 05h00

Nos últimos três anos, sempre em janeiro, venho compilando dicas de como economizar em viagens no ano que começa. Durante esse período, cada um dos cinco itens a vem se mostrando eficiente – você pode começar a segui-los hoje mesmo.

1. Cruze referências dos destinos. Faça uma lista com todos os lugares aonde você quer ir este ano. Depois, faça alguns testes para descobrir em qual deles você poderia fazer seu dinheiro valer mais. 

Comece no site Numbeo, que organiza os países por custo de vida, preços de restaurantes e custo de viagem das cidades (o que inclui o custo para mochileiros). Então entre num site como o Fareness, que compara quanto você precisa ter para pagar sua aventura nas datas aproximadas de sua viagem (desde que ela seja feita nos próximos 6 meses). 

Finalmente, dê pontos extras para os destinos onde você tenha amigos ou parentes e que podem render economia com um quarto ou uma refeição grátis. 

2. Tenha um cartão de crédito. Eu gostaria que as companhias aéreas e de cartões de crédito abandonassem o inflado, antiturístico e pró-viagens de negócios programa de pontos e milhas – e colocassem esses recursos em preços e taxas menores. Mas isso não vai acontecer. A maneira mais fácil para ocasionalmente conseguir sua passagem é com cartões de crédito que ofereçam um grande bônus e 12 meses sem anuidade. Mas confira antes se vai realmente valer a pena – confira nosso guia de milhas em oesta.do/viamilha.

O cartão também é útil para suas reservas internacionais e pode ser vantajoso pela praticidade, mesmo com a taxa de 6,38% para operações internacionais – valor que é uma pechincha no momento atual, comparado aos 25% cobrados das remessas de dinheiro ao exterior para pagar por produtos e serviços turísticos. 

4. Programe as compras das passagens aéreas. Você provavelmente precisará estar em certos lugares em datas específicas em 2016 – feriados com a família, o casamento de um amigo e, claro, surpreender sua mãe no aniversário dela (ela me pagou para dizer isso). Sim, já é possível comprar passagens até o fim do ano na maioria das empresas aéreas, mas este pode não ser o momento ideal para conseguir os melhores preços. 

As empresas aéreas vêm fazendo promoções constantes aos fins de semana, anunciadas de última hora. Acompanhe também a página Travel Hacker do Kayak, que mostra as melhores datas para comprar. Crie alertas (como no Airfare Watchdog) para o caso de passagens baratas surgirem no caminho. O app Hopper mostra o preço atual dos trechos e indica datas nas quais ele pode cair. 

4. Informe-se sobre feriados internacionais. Já aconteceu dezenas de vezes: compro uma passagem para fora do País e descubro que agendei minha viagem durante um feriado nacional, ou para a primeira semana das férias escolares em algum lugar onde os hotéis estarão lotados, os voos caríssimos, restaurantes fechados, ruas desertas. Pegue sua lista de destinos e busque agora um calendário de feriados e festivais no lugar em questão. Ou você pode acabar como eu, em Sumatra durante o Ramadã e em Seul no ano-novo coreano. 

5. Esqueça as alianças. Qual é sua locadora de veículos favorita? Errado! Preços variam tanto de acordo com as companhias, destinos e datas que é loucura para viajantes ocasionais pagar extra só para conseguir alguns pontos no programa de fidelidade ou conseguir um upgrade. 

Em vez disso, procure o melhor preço em agências virtuais. Algumas empresas têm carros melhores? Possivelmente, mas muitos hotéis têm camas melhores e você não paga mais apenas por esse motivo. Em tempo: descubra agora quais serviços seu cartão de crédito já oferece (como seguro pessoal e para carro, por exemplo) para você poder dispensar – economizar – alguns extras na hora da locação. Saiba mais em oesta.do/beneficioscartoes.

Encontrou algum erro? Entre em contato

publicidade

publicidade

publicidade

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.