Dicas para a barganha não virar pegadinha

Online. Todos sugerem que você se inscreva para receber e-mails com promoções de companhias aéreas, hotéis e locadoras de carro. Mas como conseguir, de fato, os descontos?

Susan Stellin / NYT, O Estado de S.Paulo

01 Junho 2010 | 01h51

Revistas de viagem costumam sugerir que seus leitores se cadastrem para receber e-mails sobre descontos em voos, hotéis e locações de carro. Mas esse conselho deveria vir com uma advertência: quando eles chegarem, será difícil distinguir barganha de pegadinha.

Todos os dias, costumo receber e-mails com ofertas de até 40% na diária de um hotel e aluguel de carro por US$ 8,95 ao dia. Após fracassar várias vezes em conseguir esses descontos, decidi testar dezenas de promoções para ver se conseguiria, de fato, a promoção prometida.

O resultado foi um pouco melhor que eu esperava: cheguei perto do suficiente do anunciado desconto na metade dos casos. Veja o que aprendi e fique mais perto das tão sonhadas barganhas - ou pelo menos não perca tempo com as furadas.

Seja rápido. Há duas restrições principais: a reserva precisa ser feita em um dia específico e as ofertas são para voos ou quartos limitados. Os mais cínicos suspeitam que as aéreas liberem apenas um assento nas tarifas supereconômicas. Mas algumas empresas estão começando a anunciar o número de vagas. Quando a JetBlue lança um tweet com suas promoções, é certo que você encontrará algo como "válido para 25 assentos" ou "para reservas até as 18 horas". Ah... lembre-se que as tarifas com desconto costumam voar. "Com o passar do tempo, é possível que as barganhas não estejam mais disponíveis pelo valor anunciado", diz Anne Banas, editora executiva do SmarterTravel.com.

Veja as restrições. A maior parte das oportunidades restringe as datas de viagem, mas as empresas costumam tentar ocultar essa informação. Você muitas vezes precisa vistoriar textos escritos em letras mínimas, no fim da página, para encontrar as restrições (isso no caso de elas serem apresentadas). O que provoca muita frustração. Afinal, para quando vale a promoção?

Fiquei, então, extremamente surpresa quando cliquei no "e-saver" do e-mail que recebi da US Airways. Lá estava um calendário com os dias em que os descontos eram válidos. Melhor: a tarifa de US$ 108 que escolhi (só ida de Chicago a Bermudas) poderia ser comprada para viagens em quase todos os dias de junho. Minha única reclamação: os adicionais deixaram o trecho ida e volta em US$ 323 - e a empresa não deu detalhes sobre esses extras.

Cuidado com ofertas vagas. No teste, notei que você tem mais chances de conseguir as barganhas quando se trata de oportunidades específicas, como passagens, hotéis ou carro. Pacotes com tudo incluído são bem mais complicados. Assim como ofertas de agências que atuam online.

Recebi um e-mail da Alamo prometendo tarifa de US$ 15 por dia no fim de semana. Eles revelavam que isso valia em aeroportos participantes até 24 de maio. Eu imaginava que eles não incluiriam aeroportos na caríssima Nova York. E qual não foi minha surpresa quando vi que a loja no Newark estava na lista.

Por outro lado, tive problemas com pacotes de viagem do Hotwire.com. O e-mail falava em três noites em Las Vegas, com hospedagem no Wynn, por US$ 451. Quando fui verificar, vi que se quisesse ficar no hotel, o pacote subiria para US$ 547, com passagens aéreas em horários ruins.

Encontrou algum erro? Entre em contato

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.