Do quarto aquecido para as trilhas de beleza ancestral

Inaugurado há cerca de um ano, o Valle Corralco Hotel & Spa ocupa 5,5 mil metros quadrados dentro da Reserva Nacional Malalcahuello-Nalcas. Integra-se ao panorama da região e alia conforto a certa rusticidade. Em dois andares e um subsolo, o imóvel tem 54 quartos e conta com piscina coberta, jacuzzi, sauna e um pequeno spa. Após um dia de aventura nas montanhas, nada pode ser mais agradável do que tirar proveito de toda essa infraestrutura.

MALALCAHUELLO-NALCAS, O Estado de S.Paulo

22 Julho 2014 | 02h06

O entorno do parque nacional é repleto de araucárias, ciprestes, álamos e muitos arbustos, em uma área acidentada que acaba proporcionando ótimas trilhas para quem gosta de caminhar. Aliás, como alternativas ao esqui, os hóspedes têm cerca de dez atividades, desde caminhadas com raquetes de neve até passeios em motos de neve -, além de excursões para conhecer um pouco da história local (leia na pág. 6).

Em um desses passeios, você vai conhecer a Araucária Madre, uma das árvores mais antigas da reserva, com idade estimada em dois mil anos. O tronco ficou parcialmente oco após ser atingido por um raio, conforme contam os guias do hotel durante a caminhada. É tão imensa que são necessárias três ou quatro pessoas de braços abertos para rodeá-la.

Com o vento forte durante uma nevasca, uma pessoa também poderia facilmente se abrigar no interior da Araucária Madre - é bom saber disso, claro, apesar de não ser exatamente necessário para quem tem um quarto aquecido por perto.

Mais passeios. Outra excursão interessante para um dia de tempo mais aberto é a trilha até a Lagoa Pehuenco e a queda d'água do Rio Colorado. Em um dia nublado ou de nevasca, a viagem pode ser igualmente interessante, mas a vista vai ser prejudicada pelas nuvens. Foi o que aconteceu comigo. Pena.

Nessa caminhada, uma das minhas crenças derreteu como neve no sol: jamais pensei que iria sentir calor num ambiente em que a temperatura estava abaixo de zero. Apesar do frio e do vento, o movimento do corpo somado às quatro camadas de roupa me fizeram suar.

Durante essas trilhas e passeios, há sempre a chance de se deparar com a fauna local. Nesta região, especificamente, há uma família de raposas que já se acostumou com a presença dos humanos, que em alguns casos insistem em alimentar os animais apesar das orientações contrárias. Os bichos não são exatamente ariscos, mas tampouco ingênuos; com certo jeito é possível se aproximar o suficiente para tirar uma foto.

Já em meio aos bosques, revoadas de papagaios são perceptíveis a certa distância pelo barulho característico e quantidade de aves, que criam formas escuras no céu enquanto voam de uma árvore para outra. / I.R.

Encontrou algum erro? Entre em contato

publicidade

publicidade

publicidade

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.