Doces descobertas, de um manso leãozinho ao museu de açúcar

Localizadas a pequenas distâncias da faixa litorânea, outras atrações movimentam os dias em Maurício. Carinho no filhote de leão, areais coloridas e degustação de açúcares e rum estão no cardápio.

CASCAVELLE, O Estado de S.Paulo

30 Julho 2013 | 02h19

Parque Casela

caselayemen.mu

Misto de jardim zoológico com safári, tem na interação com animais o seu ponto forte. A sessão inicial de regras de segurança já diverte: o instrutor faz piadas em torno dos temas turistas, feras e refeições. Depois, distribui cajados, que todos devem manter em mãos - um código para que os animais compreendam que está tudo bem, são amigos. E voilà!

A verdade é que dá um baita frio na barriga caminhar, a passos inevitavelmente medrosos, dentro da jaula de quatro leões. São três os instrutores, todos aparentando atenção (e alguma tensão) máxima. Um a um, os turistas acariciam os pelos de Matata, o filhote de coloração branca que, depois, vai se refestelar sobre um montinho de pedras.

Nas jaulas vizinhas, tigres se exercitavam incitados por treinadores. Depois que saí dali tive um pouco de pena dos animais que passam a vida confinados. A entrada no parque custa 360 rupias (R$ 25) e o tête-à-tête com os leões, 600 rupias (R$ 42).

Chamarel

A graciosa vila de Chamarel fica entre as curvas de uma montanha e abriga ao menos três passeios. A destilaria Chamarel (rhumeriedechamarel.com) é um lindo conjunto de edifícios alaranjados cercados por jardins impecáveis e por mata. O tour guiado é o esperado: uma funcionária conta sobre a colheita da cana-de-açúcar e todo o processo de fabricação da bebida. Ao que se segue a sessão de degustação - gostei mais do rótulo V.O., e juro que foi antes de saber que se trata da variedade mais nobre da fábrica.

No fim tem lojinha, para comprar suas garrafas e ainda algumas das mais bonitas bijuterias e camisetas de algodão natural que você encontrará em Maurício.

Para emendar no mesmo passeio, a Cachoeira Chamarel, com seus 83 metros de queda, fica perto. Bem como um dos pontos que o departamento de promoção turística de Maurício considera uma de suas cinco melhores atrações: Seven Coloured Earth, algo como terras de sete cores.

É uma duna formada por areias que eles juram ser de sete cores distintas (contei cinco, depois oito). Uma coisa meio areias coloridas do Ceará. Não emociona, mas é, sim, bonito de ver.

Aventura do Açúcar

aventuredusucre.com

Prepare-se para um museu muito bacana. L'Aventure du Sucre (350 rupias ou R$ 24) não conta apenas a história da produção de açúcar, que já foi a principal fonte de renda de Maurício. O museu também ensina, em uma sessão de degustação, a diferenciar diversos tipos de açúcares e quais são suas aplicações. Uma delícia. Quanto ao restaurante, o que tenho a dizer é que a beleza da paisagem é inversamente proporcional ao sabor da comida.

Perto fica o Pamplemousse Garden, jardim botânico que tem como principal atrativo um lago de vitórias-régias. Não esqueça o repelente. / M.N.

Encontrou algum erro? Entre em contato

publicidade

publicidade

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.