Dos irresistíveis eletrônicos ao típico comércio de rua

.

Camila Anauate, O Estado de S.Paulo

29 Setembro 2009 | 02h35

Compras

Um homem com alto-falante canta, dança e faz gracinhas no meio da rua para atrair clientes. Sobre um banquinho, outro jovem segura uma placa com a propaganda da loja de sapatos em frente. Camelôs e suas bugigangas estão prontos para correr do "rapa" e cozinhas ambulantes preparam petiscos indecifráveis (e duvidosos). Cor, barulho, gente. Confusão. Os mercados noturnos são assim, verdadeiros made in Taiwan.

Basta cair a noite para uma multidão invadir os mercados em toda e qualquer cidade taiwanesa. A atividade é realmente essencial na vida da ilha. E uma experiência absolutamente indispensável para aqueles turistas que querem consumir o país.

 

Veja também:

linkSeis passos para decifrar a singular Taiwan

linkRELIGIÃO: Atmosfera de paz e meditação nos templos budistas

linkCULTURA: O impressionante legado da Cidade Proibida

linkTRADIÇÃO: Costumes milenares transformados em coloridos festivais

linkMODERNIDADE: Uma ilha conectada por Wi-Fi

linkNATUREZA: De barco, um passeio pelo Sun Moon Lake

Entre ruelas e becos do mercado Shilin, o mais popular da capital Taipé, centenas de lojas vendem de tudo muito: camisetas, calças, tênis, colares, brincos, bonecos, brinquedos e uma infinidade de cacarecos. Os camelôs são os reis da pirataria, montam banquinhas móveis e ficam sempre com um olho no cliente, outro na polícia.

Mas a atração principal da feira é mesmo a culinária popular. Os próprios taiwaneses fazem compras aqui, já que os preços são bem mais em conta.

Os aventureiros experimentam logo de cara a língua de pato ou o pé de galinha. O tal do ovo milenar, que fica semanas enterrado antes de ir ao prato, também é um desafio e tanto. Paladares, digamos, um pouco mais convencionais preferem lulas empanadas, pedaços de porco ou frango, tofu frito... Vá com disposição, dinheiro trocado no bolso e uma dose reforçada de coragem.

SHOPPING

Durante o dia, a bagunça muda de lugar e segue para as zonas comerciais mais concorridas de Taipé. Ximending é o ambiente dos jovens modernosos, com calçadões para pedestres e vitrines da última moda japonesa. A região também tem uma boa quantidade de cafés, restaurantes típicos e cinemas.

No Distrito Xinyi, nos arredores do gigante Taipei 101, estão as lojas de departamento, os shoppings mais arrumadinhos e grifes internacionais.

Prefere algo mais autêntico? O contraste é fascinante na Dihua Street, a rua comercial mais antiga da cidade, na ativa desde o século 19 com o comércio de chá. Nessa área, as lojas têm portas estreitas, mas são bem amplas no interior. Ali mesmo, as famílias moram e confeccionam os produtos tipicamente chineses. Há desde flor-de-lótus seca e barbatanas de tubarão a ervas medicinais e peixes e frutos do mar frescos.

PECHINCHA

"Mas e os eletrônicos?", perguntaria um brasileiro. Pode apostar, em qualquer região comercial existem lojas de grandes marcas e, principalmente, shoppings um pouco menores no estilo do paulistano Stand Center: corredores apertados, abafados e lotados de tendas.

Os produtos têm ótimos preços se comparados aos encontrados no Brasil. Mas, lembre-se: leve um taiwanês a tiracolo ou será impossível se comunicar. E pechinche.

Mais conteúdo sobre:
Viagem & Aventura Ásia Taiwan compras

Encontrou algum erro? Entre em contato

publicidade

publicidade

publicidade

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.