Duas incríveis versões de Barbados

A vibrante capital, Bridgetown, e a natureza generosa atiçaram a ganância do saqueador Henry Morgan

Natália Zonta, O Estado de S.Paulo

08 Abril 2008 | 03h41

Como um bom britânico, Henry Morgan procurou uma ilha colonizada por seu povo para iniciar a carreira como pirata. Quando chegou a Barbados, era apenas um jovem marujo muito dedicado. Ninguém poderia imaginar que, após anos servindo como escravo, ele se tornaria um dos bucaneiros mais temidos pelos espanhóis. Estima-se que Morgan avistou o Caribe em meados de 1660, quando Barbados estava prestes a ser declarada oficialmente colônia britânica. Teve de dar duro para conquistar sua liberdade e precisou insistir para ser empregado em algum navio. No tempo em que ficou por lá, certamente Henry viu Bridgetown, a capital, se desenvolver. Com ruas comerciais apinhadas de gente e um centrinho histórico charmoso, a capital é passeio obrigatório. Ok, é difícil resistir às praias, mas Bridgetown é pequena e vibrante. A primeira coisa que se nota - além da arquitetura inglesa, é claro - é a boa vontade do povo. Só em Bridgetown você poderá pedir informações, ser levado até o local que procura e, no fim do pequeno tour, receber apenas um ''por nada'', sem questionamentos sobre aquela ''caixinha'' quase obrigatória nas outras ilhas. Antes de chegar ao que interessa - a parte histórica -, dê uma passada em Broad Street e na Swan Street, dois points comerciais barulhentos e cheios de figuras. Rastafaris e meninas com uniformes ingleses customizados praticamente imploram por flashes. Note como os cabelos das garotas se parecem com os da popstar Rihanna, aquela do hit Umbrella, a mais famosa nativa de Barbados. No fim da Broad Street está o prédio do Parlamento, erguido em 1636, hoje sede do governo, independente desde 1966. Na frente fica a National Hero Square. Essa região é especialmente bem cuidada. Os canteiros são impecáveis, não há lixo na rua e tudo parece funcionar de maneira britânica. Não agüenta mais de vontade de cair n''água? Atravesse a pequena ponte e caminhe por menos de dez minutos até a Sandy Beach. Popular, a praia ferve de jovens e turistas que descem dos cruzeiros e tem ótima infra-estrutura. O mar é calmo e a areia, extremamente branca. Mas a fama do local deve-se um pouco ao bar The Boatyard, que ocupa parte da orla. Supermovimentado, tem bangalôs, opções de esportes aquáticos, bebida e música. Precisa de mais? Por US$ 15 (R$ 25,90), o visitante tem direito a um pacote que inclui cadeira de praia, um drinque de boas-vindas, trampolins, tirolesa e banheiro. Tartarugas O fundo do mar de Barbados pode ser ainda mais encantador. E ter o privilégio de desvendar um pouquinho da vida marinha da ilha custa caro. Os passeios de barco que incluem mergulhos em pontos estratégicos - onde as aparições de tartarugas, mil peixinhos e outros animas são quase garantidas - custam, em média, US$ 80 (R$ 138,12), dependendo do tipo da embarcação, e incluem equipamento para mergulho, almoço, bebidas à vontade e café da tarde. Acredite, é impossível não abrir a carteira. Partindo do porto, os catamarãs seguem rumo à Cobblers Bay (Praia do Ouriço, em inglês). Antes, duas paradas para mergulho. Nem pense em abrir mão de entrar n''água. Ver as tartarugas de pertinho e conseguir enxergar as algas ondulando no fundo do mar é algo inesquecível. E você vai querer fazer de novo. A chegada à Cobblers Bay também é memorável. A praia é quase particular e sua orla, ocupada somente por algumas mansões e árvores igualmente gigantescas. Bem pertinho da faixa de areia há mais um ponto de mergulho repleto de corais. Caia de cabeça mais uma vez. Mais informações: www.visitbarbados.org Passeio de Barco: custa US$ 80 (R$ 138,12) na Cool Runnings; informações no ww.coolrunningsbarbados.com Serviço Passagem aérea SP-São Domingos-SP, via Panamá: a partir de US$ 864 na Copa (0800-771-2672). A partir de US$ 920 na Taca (0800-761-8222), via Lima Pacotes* US$ 1.417 Sete noites, com saída de São Domingos em 18 de janeiro de 2009. Paradas em Guadalupe, Martinica, Barbados e Santa Lucia. Sun & Sea: (0--11) 3156-5600 US$ 1.476 Oito noites, partindo de São Domingos em 16 de janeiro de 2009. Paradas em Guadalupe, Martinica, Barbados e Santa Lucia. Nascimento: (0--11) 3156-9944 US$ 1.833 Dez noites, partindo de Nova Jersey (EUA) em 21 de maio. Paradas: Haiti, República Dominicana, St. Thomas e Porto Rico. Inside: (0--11) 4508-8010 US$ 1.922 Sete noites, com saída de São Domingos em 18 de janeiro. Paradas: Guadalupe, Martinica, Barbados e Santa. Lucia. Tia Augusta: (0--11) 3068-5111 US$ 2.230 Sete noites, com partida e chegada em São Domingos. Paradas em São Cristóvão, Martinica, Barbados e Santa Lucia. Saída: 18 de janeiro. Tereza Ferrari (0--11) 3021-1699 US$ 3.547 16 noites, partindo de Fort Lauderdale (EUA). Paradas na República Dominicana, Porto Rico, Barbados, Dominica, St. Maarten, St. Thomas e Bahamas. Saída: 18 de dezembro. Pier 1 (0--11) 3078-2474 * Valores mínimos por pessoa em cabine dupla, com aéreo

Mais conteúdo sobre:
Barbados Caribe

Encontrou algum erro? Entre em contato

publicidade

publicidade

publicidade

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.