Duas semanas pela Europa central

Viaje na pergunta

Ricardo Freire, O Estado de S.Paulo

26 Julho 2016 | 00h10

Temos 15 dias de viagem e gostaríamos de visitar Zurique, Viena, Budapeste, Varsóvia, Praga, Berlim, Munique... O que devemos descartar? (Manoel, São Paulo)

Ao planejar um itinerário pela Europa, é importante lembrar que o dia de deslocamento é um dia praticamente perdido. Marcar passeios importantes para esse dia é pedir para se estressar: chegar ao hotel e fazer check-in acabam tomando mais tempo e energia do que imaginamos. O melhor é fazer uma primeira incursão, em modo ‘flanador’, à área da cidade que merecerá atenção mais detalhada nos dias seguintes.

Para cidades desse porte, recomendo uma permanência mínima de três noites. Isso garante dois dias inteiros para explorar a cidade, que costumam ser o bastante para cobrir o essencial. Se puder ficar quatro dias, você vai poder usar um dia para um bate-volta a uma cidade próxima. 

O roteiro mais fluído pela região é o que começa em Budapeste, prosseguindo de trem a Viena (2h40) e de lá a Praga (4h). A partir de Praga, é preciso escolher entre continuar a Berlim (4h30 de trem) ou Munique (5h de ônibus ou 6h de trem). Eu ficaria 3 dias em Budapeste, Viena e Praga, 5 dias em Berlim e uma noite em Cesky Krumlov, uma encantadora cidadezinha que pode ser visitada no caminho de Viena a Praga, de ônibus ou van (studentagencybus.com).

A Polônia fica fora de mão para fazer esse circuito e é ligada por trilhos lentos aos países vizinhos. Zurique também está fora desse corredor ‘natural’ – e se você só tivesse tempo para visitar uma cidade suíça, eu sugeriria Lucerna, que tem lago e montanha à porta. 

Em agosto vamos passar 14 dias entre Viena, Praga e Berlim. Quantos dias sugere em cada lugar? Sugere bate-voltas? Os museus vão estar fechados? (Maria Silvia, São Paulo)

Agosto é uma época excelente para a Áustria e a Alemanha (calor e muitas atividades ao ar livre); Praga, por sua vez, vai estar bem lotada. Museus não fecham no verão: na parte cultural, só a música erudita e o teatro ficam prejudicados (mas dê um Google para ver shows e festivais nas suas datas). 

Pense em quatro noites em Viena e Praga e seis em Berlim. De Viena, faça um bate-volta a Bratislava, na Eslováquia (1h de trem). Dresden pode ser visitada como pit-stop entre Praga e Berlim (está exatamente no meio do caminho; há guarda-volumes de armário na estação). Se quiser fazer o pernoite em Cesky Krumlov sugerido acima, tire uma noite de Praga.

Encontrou algum erro? Entre em contato

publicidade

publicidade

publicidade

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.