E ação na verdejante Serra da Mantiqueira

Altitude e beleza. Apesar de concentrar atrações para o estômago e para a alma no centrinho, é nos arredores que São Francisco Xavier oferece ainda mais condições para suas principais vocações: contemplação e emoção. Para qualquer lado que se olhe, a vila está cercada de belíssimas montanhas e cenários. E, para os aventureiros, trilhas, rios e cachoeiras.

SÃO FRANCISCO XAVIER, O Estado de S.Paulo

28 Maio 2013 | 02h07

Quem busca adrenalina pode começar a procurar no rapel de 22 metros (R$ 40 por pessoa) por uma pedra positiva no Portal Equilibrium (portaldoequilibrium.com.br). No mesmo parque há duas tirolesas, uma com 370 e outra com 400 metros de extensão (R$ 60).

Para testar o fôlego, a Cat Ecoturismo (catecoturismo.com.br) propõe caminhadas: na Reserva Toca do Muriqui (macaco símbolo da região) são 6 quilômetros em 3 horas, uma boa pedida para toda a família (R$ 50). Já a da Pedra Queixo D'Anta (1.600 metros) é recomendada para quem tem mais fôlego e hábito de caminhar, pois são 5 horas de trilha (R$ 80). Os mais habitués almejam a travessia até Monte Verde, já em Minas, 8 horas a pé (R$ 100).

Além das caminhadas, as trilhas da região podem ser desbravadas a cavalo ou de bicicleta. As cavalgadas são feitas a partir do Rancho São Xico (ranchosaoxico.com.br): há opções de uma hora e passeios com pernoite nas montanhas (a partir de R$ 60). Também dá para fazer a tradicional cavalgada da lua cheia (desde R$ 150). Já as jornadas de bike podem ter de 10 a 40 quilômetros (R$ 50).

Na hora do refresco, a Cachoeira de São Francisco, com seu convidativo poço, é a pedida. Claro que nesta época do ano a água é fria de rachar. Mas não custa nada lembrar que durante o verão - e a cheia do Rio do Peixe - é possível praticar boia cross e aqua-ride. / F.M.

Encontrou algum erro? Entre em contato

publicidade

publicidade

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.