Imagem Mônica Nobrega
Colunista
Mônica Nobrega
Conteúdo Exclusivo para Assinante

É o fim do visto americano para grávidas?

Na semana passada, o Departamento de Estado publicou norma para dificultar o nascimento de bebês estrangeiros nos EUA. stados Unidos

Mônica Nobrega, O Estado de S.Paulo

07 de fevereiro de 2020 | 06h00

Não sei você, mas eu fiquei incomodada com essa história de o governo americano passar a me considerar uma suspeita só porque sou uma mulher em idade fértil. Na semana passada, o Departamento de Estado publicou norma para dificultar o nascimento de bebês estrangeiros nos Estados Unidos - o que dá à criança o direito imediato à cidadania, como determina a Constituição deles. A principal medida é dificultar o visto para certas grávidas. Afinal, não é segredo para ninguém que o presidente Donald Trump não gosta de imigrantes.

Como fica, então, a situação das gestantes brasileiras que querem viajar aos Estados Unidos, seja para passear, fazer o enxoval ou o próprio parto? Para entender, fui conversar com profissionais brasileiros que atuam em território americano no atendimento às famílias estrangeiras. 

Importante: as respostas a seguir são entendimentos e dicas destes profissionais sobre a normativa do Departamento de Estado. Tire suas dúvidas (e conclusões).

Grávida ainda pode conseguir visto de turismo para os Estados Unidos?

O advogado Alexandre Piquet, de Miami, explica que são duas situações. Pela normativa, a entrevista do visto tentará descobrir se a grávida vai viajar com o objetivo principal de ter a cidadania para o filho. São os chamados bebês-âncora, que quando completam 21 anos podem pedir a cidadania para os pais. Também se pretende barrar quem não pode pagar pelo parto em solo americano. 

Se você não for uma grávida pobre em busca de atendimento ou de uma vida melhor, se puder provar que vai e volta para o seu país, então deve conseguir o visto. 

Ainda é possível fazer o parto em solo americano?

Se puder pagar, sim. O pediatra Wladimir Lorentz, um dos fundadores do programa Ser Mamãe em Miami, que atendeu Claudia Leitte, Thammy Miranda, Karina Bacchi e outras 1.400 famílias não americanas (pacotes desde R$ 55 mil), diz que clientes de seu serviço estão interessados em assistência médica de qualidade e têm capacidade financeira de pagar por ela. A cidadania para o bebê é consequência, não o objetivo principal.

O bebê terá direito à cidadania?

Nasceu nos Estados Unidos, a resposta é sim. 

E os pais?

Não. O filho que tem cidadania americana pode pedir o benefício para os pais quando completa 21 anos. Nesse caso, é comum que os pais estejam ilegais. 

Vou conseguir viajar para fazer o enxoval?

Para gestantes que já tinham o visto americano antes de engravidar, nada muda: o procedimento na imigração continua exatamente o mesmo. 

Quais são as dicas para o visto não ser negado?

A consultora de compras Paula Laffront, que em dez anos vivendo nos Estados Unidos ajudou mais de 4 mil mães a fazerem enxoval em Miami, Orlando e Nova York, aconselha: “Prove que a viagem é para compras. Mostre passagem de volta após um período curto de estadia e, se possível, os arranjos para o parto no Brasil. O ideal é tirar o visto antes de a gestação acontecer. Vale lembrar também que o chamado turismo de maternidade é forte entre russas e chinesas; são elas os principais alvos da normativa”.

 

Encontrou algum erro? Entre em contato

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.