Econômica, mas com algo a mais

MÔNICA NOBREGA, O Estado de S.Paulo

05 Agosto 2014 | 02h06

Nem tanto ao céu de mordomias das classes superiores, nem tanto à terra agreste da sofrida classe econômica. Mais companhias aéreas estrangeiras que operam no Brasil estão trazendo aos seus voos assentos intermediários, também conhecidos no mercado como conforto: mais espaçosos que os da econômica, sem chegar ao status (nem aos preços) da executiva.

Há novidades também no céu de brigadeiro das primeiras classes, como as criações gastronômicas de Joël Robuchon na Air France ou os amenities Salvatore Ferragamo na Singapore - descubra quais são (e comece a sonhar) com as novidades abaixo.

Turkish

A empresa estreou por aqui sua classe Comfort há duas semanas. São 63 assentos com 49 centímetros de largura e distância de 116 centímetros entre fileiras (na econômica, são 86) - e alimentação bem parecida com a da executiva. O trecho base da empresa, entre São Paulo e Istambul, custa a partir de US$ 1.819 na Comfort, contra US$ 1.111 na econômica e US$ 4.888 na executiva.

Lufthansa

A econômica premium da Lufthansa também estreará no País ainda este ano, em 10 de dezembro. Por tarifas que começam em US$ 1.699 para voo de ida e volta entre São Paulo e Frankfurt, os passageiros terão assentos 50% maiores que os da econômica, refeições servidas na porcelana e direito a usar, nos aeroportos, os lounges da executiva por uma tarifa de 25. Serão 32 poltronas premium.

British

Foi ela quem lançou no mundo a ideia da classe econômica turbinada, lá em 2000. Sua World Traveller Plus, com número variável de assentos entre 30 e 44, tem distância de 97 centímetros entre fileiras, contra os 79 da econômica convencional (batizada de World Traveller), além de poltronas com tomada e entrada USB e lanche antes do embarque. No trecho entre São Paulo e Londres, ida e volta, preços da World Traveller Plus começam em US$ 1.156, contra os US$ 680 iniciais da World Traveller -, mas sem chegar aos US$ 2.122 da executiva (que a British chama de Club World).

Air France

A versão de classe econômica premium da companhia francesa foi criada em 2009 e remodelada no ano passado. São 21 a 28 lugares com espaço individual 40% maior que o da econômica básica e 97 centímetros de distância entre fileiras. A mesa é maior e cada poltrona tem suportes de fones de ouvido, tomada e entrada USB. O trecho ida e volta entre São Paulo e Paris custa desde US$ 2.480 na econômica premium - na executiva, começa em US$ 3.544.

American Airlines

Os clientes podem viajar nos assentos da Main Cabin Extra, que têm cerca de 15 centímetros a mais para as pernas, pela mesma tarifa da econômica convencional. Vale para quem tem status de elite no programa de fidelidade AAdvantage ou equivalente na One World. Demais passageiros pagam apenas uma taxa, que começa em US$ 20. Disponível nos voos de São Paulo para Nova York (aeroporto JFK) e Dallas - as tarifas começam em US$ 864 e US$ 1.056, respectivamente.

E AS NOVIDADES NA PRIMEIRA CLASSE: 

Poltrona: as oito poltronas têm design inspirado na clássica cadeira Eames Lounge, de Charles Eames, e viram uma cama de 2 metros com edredom de penas de ganso
Grifes: até setembro, o cardápio é de Dominique Gauthier, do restaurante Le Chat Botté, de Genebra (uma estrela Michelin); os amenities são La Prairie; e o café, Nespresso
Preço: SP-Zurique-SP desde US$ 8.555.

Amenidades: a empresa acaba de renovar a nécessaire com amenities Salvatore Ferragamo. O entretenimento tem mais de mil horas de conteúdo
Boa noite: revestida com o mesmo couro de Ferrari, Jaguar e Rolls Royce, a poltrona vira cama com enxoval e pijama Givenchy
Preço: SP-Cingapura-SP, US$ 15 mil; ida e volta entre São Paulo e a escala Barcelona, US$ 9,5 mil.

Destaque: em Frankfurt, tem lounge de boas-vindas, com quarto, duchas e bar de vinhos; e um terminal exclusivo para quem vai embarcar, com assistente pessoal e limusine
A bordo: a poltrona vira cama de 2,07 metros e tem futon; os vinhos são selecionados pelo sommelier Markus del Monego
Preço: SP-Frankfurt-SP desde US$ 8.539.

Multiuso: a nécessaire de amenities - da marca Dermatologica - da primeira classe acaba de ser reformulada. Vazia, vira um case para tablet. Nos voos entre São Paulo e Nova York operados no Boeing 777- 300ER, há Wi-Fi a bordo e bar com bebidas e lanches
Delícias: sundae está no cardápio regular das refeições; e os vinhos são selecionados pelo consultor Ken Chase
Preço: a empresa opera 95 voos semanais entre nove cidades brasileiras e Nova York, Miami, Dallas e Los Angeles, todos com primeira classe. Tarifas mínimas variam de US$ 6.518 a US$ 7.498.

A caminho: as novas suítes da primeira classe (La Première), com armário, mesa para dois, poltrona para convidado e cortina para isolar o espaço chegam ao Brasil em 2015
Gastronomia: chefs da França, como Joël Robuchon e Anne-Sophie Pic, estrearam há pouco no cardápio. A partir de dezembro, os passageiros serão servidos em louça de porcelana Bernardaud desenhada por Jean Marie Massaud e terão talheres Christofle
Preço: ida e volta entre São Paulo e Paris desde US$ 10.117.

Exclusividade: portas com telas em estilo árabe fecham cada suíte. As refeições são preparadas na hora pelo chef de bordo. Há opções árabes e ingredientes orgânicos cultivados em fazenda da companhia
Iniciativa social: as nécessaires entregues a quem decola de Abu Dabi são feitas pela Sougha, projeto social dedicado a preservar tradições dos Emirados e promover o trabalho de artesãos - as estampas reproduzem tradição beduína
Preço: São Paulo-Abu Dabi- São Paulo desde US$ 2.030.

Saudável: a novidade gastronômica da companhia são os menus ditos saudáveis, criados por chefs com ingredientes naturais e o mais fresco possível. As refeições podem ser pedidas a qualquer hora
Privacidade: a Emirates foi a primeira aérea no Brasil a ter suítes totalmente fechadas por portas de correr na primeira classe. As cabines têm minibar, iluminação ajustável, penteadeira, espelho, guarda-roupas e amenities Bulgari
Preços: São Paulo a Dubai, ida e volta, desde US$ 17.400.

Acomodação: são 14 poltronas na primeira classe (contra a tendência do mercado de apenas oito), com persianas automatizadas nas janelas. Há duas mesas, principal e lateral
À mesa: de acordo com o horário, são servidos English breakfast e chá das cinco
Preço: ida e volta de São Paulo a Londres desde US$ 4.520.

Encontrou algum erro? Entre em contato

publicidade

publicidade

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.