Wilton Junior/Estadão
Wilton Junior/Estadão

Eles não saem da moda

Recife

O Estado de S.Paulo

22 Janeiro 2013 | 02h08

Galo da Madrugada

O Rio São Francisco é o tema deste ano do bloco, registrado em 1994 no Guinness Book, o Livro dos Recordes, como o maior do mundo por arrastar 1,5 milhão de pessoas naquele ano. Fundado em 1978, o Galo desfila por 4,5 km entre os bairros de São José e Santo Antônio, sempre no sábado de carnaval. A concentração começa bem cedinho, na sede, localizada na Rua da Concórdia, mas a festa se estende até o começo da tarde. Este ano, serão 25 trios elétricos. Mais: www.galodamadrugada.org.br.

Noite dos Tambores Silenciosos

Não se trata de um bloco, mas de um desfile de nações de maracatu, realizada na noite de segunda-feira no Pátio do Terço. O espaço é pequeno, portanto chegue cedo se quiser ver alguma coisa. À meia-noite em ponto, os tambores silenciam, as luzes se apagam e a emoção toma conta do lugar. De arrepiar.

Olinda

Homem da Meia-Noite

À meia-noite do sábado de Zé Pereira o boneco gigante, vestido com seu tradicional fraque, sai da sede do clube, no bairro de Bonsucesso, pelas ladeiras da cidade. Aos 81 anos, ele segue arrastando foliões com forma invejável.

Apoteose dos Bonecos Gigantes Na manhã de segunda-feira, os bonecos gigantes que desfilaram em Olinda se reúnem. A saída ocorre do Largo do Guadalupe, no centro histórico, mas o ponto alto é a chegada à sede da prefeitura, ao som dos clássicos do frevo. Inesquecível.

Bacalhau do Batata

Em 1962, o garçom Isaías Pereira da Silva, o Batata, resolveu reunir os amigos para brincar o carnaval na Quarta-feira de Cinzas, já que eles passavam os dias de folia trabalhando. Hoje, os foliões aproveitam o dia extra para continuar a peregrinação em ritmo de frevo pelas ruas de Olinda. A concentração ocorre às 9 horas, no Alto da Sé.

Salvador

Encontro de Trios

Considerado por muitos foliões o momento mais emocionante do carnaval de Salvador, o Encontro de Trios voltou a ocorrer com regularidade em 2011, na icônica Praça Castro Alves, depois de um período sem local fixo. No ano passado, Moraes Moreira recebeu Luís Caldas e outros. A programação deste ano ainda não está definida - será divulgada a qualquer momento no site www.carnaval.salvador.ba.gov.br.

Banda Armandinho, Dodô e Osmar

Sem abadá, sem corda, sem pagamento e com a guitarra baiana, inventada há 71 anos pelos músicos Dodô e Osmar, à frente do espetáculo: assim sai o trio Fobicão, herdeiro da Fobica que criou o carnaval soteropolitano nos moldes atuais. No sábado, o percurso é pelo circuito Avenida/Campo Grande, a partir das 18 horas. Domingo (18h30), segunda (19 horas) e terça (19h30), o desfile é pelo circuito Barra-Ondina. Quem quiser, pode trocar uma lata de leite em pó, que será doada a projetos sociais, por uma camiseta.

Camarote Andante

Rosto-símbolo do carnaval baiano contemporâneo, Carlinhos Brown chama os foliões para seguirem seu trio sem corda, sem abadá, pelo Barra-Ondina. No domingo, às 20h30, com participação de afoxés e outros convidados ainda não confirmados; e, na segunda-feira, às 23 horas. A banda vai em cima do trio; Brown, no chão.

Rio

Cordão do Bola Preta

Aos 94 anos, o bloco segue arrastando uma multidão em branco e preto no sábado de carnaval - em 2011, foram 2,3 milhões de foliões, segundo a PM. A concentração é na Cinelândia, às 9 da matina. Sua marchinha é um clássico absoluto: "Quem não chora não mama! / Segura, meu bem, a chupeta. / Lugar quente é na cama. / Ou então no Bola Preta".

Banda de Ipanema

Um dos blocos mais democráticos da cidade, a banda leva pelas ruas do bairro gente de todas as idades, classes sociais e fantasias - as drag queens são incontáveis. A tradição, iniciada em 1964, continua neste ano no sábado, com repeteco na terça, sempre às 16 horas.

Cordão do Boitatá

É inesquecível. Parece sintetizar todo o espírito do autêntico carnaval de rua. Começa com um desfile logo cedo no domingo de carnaval, com concentração diante da Assembleia Legislativa, no centro. O horário exato do desfile costuma variar, na tentativa de evitar uma lotação monstruosa. Mas a partir do meio-dia, a banda sobe ao palco da Praça XV e toca por horas a fio, reunindo sempre milhares de adultos e crianças com muito confete, serpentina e animação.

Suvaco do Cristo

Fundado em 1985 por uma turma que incluía os cantores Jards Macalé e Lenine, o bloco desfila no domingo de carnaval. Como nos últimos anos o bairro do Jardim Botânico, mais especificamente a Rua Faro, lotou demais de foliões, a organização só divulga o horário da concentração no mesmo dia. É bom ficar atento no site suvacodocristo.com.br.

Carmelitas

Debochado por natureza, este irreverente bloco desfila pelas ladeiras de Santa Teresa desde 1991. Surgiu como uma homenagem descontraída ao Convento de Carmelitas de Santa Teresa, onde freiras vivem enclausuradas até hoje. A lenda conta que uma delas teria pulado o muro do convento no carnaval e se misturado aos foliões. O traje, lógico, é um hábito de freira. Vista o seu, vá até a Rua Almirante Alexandrino na terça-feira cedo e se esbalde pelas ruas estreitas de Santa Teresa.

Encontrou algum erro? Entre em contato

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.