Em Campina Grande, comida, forró e rivalidade

Festança deve reunir 2 milhões de pessoas no Parque do Povo

Natália Zonta, O Estado de S.Paulo

03 Junho 2008 | 03h15

Aos turistas, um aviso: é melhor não tomar partido nesta acirrada disputa. Também não tente contestar os números, as duas cidades sempre encontrarão argumentos que sustentem que o seu é o maior - e melhor - São João do mundo. Campina Grande (PB) e Caruaru (PE) se engalfinham por esse título há décadas. E, na falta de um júri corajoso, as duas se auto-intitulam as maiorais. A rixa entre os dois municípios, separados por apenas 149 quilômetros, é tão grande que nem artistas renomados declaram sua preferência. Para evitar faíscas, forrozeiros de primeira linha, como Elba Ramalho, Zé Ramalho e Dominguinhos, se apresentam nos dois arraiais sem pestanejar. Melhor para o público, não? A tradição do São João de Campina Grande vem de 1983. Ao longo dos anos, a festa ganhou tanta força que, no ano passado, chegou a reunir 2 milhões de pessoas -1,5 milhão de fora da cidade. Na edição deste ano, a cidade promete emocionar ainda mais os turistas. Serão 30 dias de festa (começou sexta-feira e segue até 29 de junho), no Parque do Povo, um espaço com 42.500 metros quadrados onde se apresentarão mais de 400 atrações. Para agüentar essa maratona, no entanto, será preciso tomar fôlego. Aliás, deve-se ter preparo físico de atleta. Estão previstas cerca de 700 horas de forró. Será que alguém suporta tanto tempo no arrasta-pé? A organização do evento aposta que sim e contratou 160 trios para se revezarem nos palcos. Para repor as energias, procure as barraquinhas de comidas nordestinas - ótimas para dar aquela revigorada -, que estão espalhadas pelo pavilhão. Ao todo, 225 bancas e 400 ambulantes cadastrados vendem quitutes e bebidas. Mais sabores da terrinha estão reunidos na Casa do Milho. Ali, muita pamonha, canjica, milho cozido, bolo e arroz-doce estarão esperando por você. PARA OS SAUDOSOS O ambiente do arraial de Campina Grande também é especial. O Parque do Povo foi decorado e há espaços dedicados à história da cidade. O palco principal fica no Arraial Hilton Motta, onde se apresentarão os cantores mais conhecidos. Lá também ocorre o Forró Fest. Na cidade cenográfica, réplicas da Catedral de Nossa Senhora da Conceição - com 18 metros de altura - e do Cassino Eldorado transportam todos aos tempos em que Campina Grande era um vilarejo. Na Vila Nova Rainha, mais histórias do sertão. O espaço também reproduz o ambiente da cidadezinha que deu origem a Campina Grande, com 15 casas e uma igreja. Bem pertinho desse ponto, os visitantes encontram a Pirâmide, no centro do parque, reservada para os trios, as bandas e as quadrilhas. Mas quem quiser se esbaldar de tanto dançar deve seguir até as Palhoças, também conhecidas como ''ilhas do forró''. Nesses espaços rola o bate-coxa mais fervido. Lá, os trios do tradicional pé-de-serra prometem não deixar ninguém ir embora antes de o sol raiar. Informações: www.pmcg.pb.gov.br

Mais conteúdo sobre:
arraial campina grande

Encontrou algum erro? Entre em contato

publicidade

publicidade

publicidade

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.