Em contato com a vida subaquática

Estrela dos roteiros de mergulho, Mar Vermelho permite da simples observação ao nado com golfinho

Luciana Alvarez, O Estado de S.Paulo

08 Dezembro 2009 | 02h23

No extremo sul de Israel, a cidade de Eilat convida a conhecer o Mar Vermelho em profundidade. Literalmente. Com águas tranquilas e límpidas, recifes de corais nas proximidades e uma rica vida marinha, o local é considerado um dos melhores pontos de mergulho do mundo.

LIBERDADE - Soltos nas águas cristalinas, os animais não se importam com a companhia dos turistas

Mesmo quem prefere deixar de lado as roupas especiais e os tanques de oxigênio também pode aproveitar. Não profissionais, acredite, encontram diversão de sobra no Mar Vermelho. As opções começam em um nada básico passeio em um barco com fundo de vidro. E seguem por uma visita aos observatórios submersos, uma das mais populares atrações de Eilat.

VEJA TAMBÉM:
Quatro mares na terra da fé
Spa natural além do Deserto da Judeia
Passos santos sobre um doce espelho d\'água
Os observatórios do Marine Park funcionam como o inverso de um aquário: um salão redondo, cercado de vidros, onde os humanos ficam bem sequinhos do lado de dentro e os peixes, corais e moluscos mostram-se em seu hábitat natural do lado de fora, a aproximadamente 6 metros de profundidade.

Para se chegar ao Marine Park, que fica a 100 metros da praia, é preciso pegar um barco. Lá há também tanques de tubarões e de crocodilos, piscinas de tartarugas e arraias, diversos aquários e uma torre de observação.

No Dolphin Reef, os visitantes podem nadar com golfinhos, acompanhados por monitores. O mais impressionante é que os animais não estão presos em uma piscina, mas livres em seu ambiente natural. Vivem por ali pela proteção oferecida pelo recife - e, para sorte total dos turistas, parecem não se incomodar nadinha com a presença humana diária.

Marine Park: www.coralworld.com/eilat/eng. Entrada: 79 shekels (R$ 35,55)

Dolphin Reef"s: www.dolphinreef.co.il. Passeios custam desde 255 shekels (R$ 115)

Mais conteúdo sobre:
Israel Ásia Oriente Médio

Encontrou algum erro? Entre em contato

publicidade

publicidade

publicidade

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.