Filipe Araujo
Filipe Araujo

Jericoacoara: praia, sol e lagoas

Agora com fácil acesso, município do Ceará oferece o combo águas calmas e quentinhas para curtir à beira-ma

Bruna Tiussu, Especial para O Estado

29 Maio 2018 | 03h00

Ex-refúgio hippie, Jericoacoara aos poucos se firmou como destino de praia cobiçado por brasileiros e estrangeiros, viajantes desencanados e exigentes, esportistas e amantes do dolce far niente. Desde o início do ano, famílias com crianças pequenas também ganharam um incentivo para incluir o lugar em suas listas de destinos de férias: com as companhias aéreas Gol e Azul operando voos até lá, chegar a esse paraíso do litoral cearense ficou fácil, fácil.

E o mês de julho ainda guarda estímulos extras: enquanto faz frio em boa parte do País, o sol segue firme em Jeri e o período das chuvas já passou. Também é nesta época que os turistas conseguem presenciar uma das cenas mais bonitas do lugar: o sol se encaixando com perfeição dentro do buraco da Pedra Furada no fim do dia.

A visita a este cartão-postal pode ser realizada a pé (são 30 minutos de caminhada pela praia, desde que a maré permita), de bugue ou a cavalo. Os guias e seus animais costumam ficar sempre disponíveis, para potenciais clientes, próximos da Duna do Pôr do Sol – os profissionais cobram desde R$ 30 para fazer o passeio.

Essa duna, aliás, é outro ponto emblemático de Jericoacoara e parada obrigatória para quem visita o vilarejo: todos os dias, moradores e visitantes sobem até seu topo para contemplar do alto mais um entardecer no destino cearense.

Pela areia. Para aqueles que preferem curtir as atrações de bugue, é possível alugar um (com ou sem guia) nas agências de turismo ou diretamente nos hotéis, com valores a combinar. O passeio mais vendido é o que leva até as Lagoas Azul e Paraíso, que na verdade são dois trechos da mesma lagoa de Jijoca, o município em que a vila de Jeri está inserida.

Com redes estrategicamente instaladas na beira da água e restaurantes localizados a poucos passos de distância, fica difícil querer ir embora dali. É realmente um lugar delicioso para se aproveitar em família.

O segundo tour mais procurado vai até a Lagoa de Tatajuba, também um convite ao deleite no estilo pé na areia. Durante o trajeto, passa-se por uma bonita área de mangue seco, que é praticamente uma aula de geografia para os pequenos. Também há a possibilidade de fazer uma parada para ver cavalos-marinhos, na qual os guias explicam as características e o modo de vida da espécie.

Vento e vida boa. Como em Jericoacoara o vento é sempre constante, os amantes do windsurfe e do kitesurfe têm um carinho especial pelo destino. Velas coloridas voando alto fazem parte da panorâmica da praia, e as escolas estão por ali para ensinar os primeiros passos desses esportes. Adultos e crianças podem fazer aulas, basta terem tempo e força de vontade.

Turistas menos dispostos podem contemplar as manobras dos que estão dentro d’água. Vale esticar a canga na areia e curtir o sol, assim como se acomodar em um dos diferentes bares e restaurantes à beira-mar, caso do Clube dos Ventos, opção número 1 dos gringos, e da Creperia Naturalmente, com menu e atmosfera bem familiares.

As atrações gastronômicas de Jericoacoara continuam vila adentro, espalhadas por suas ruas de areia, sempre em distâncias caminháveis. O restaurante A Casa Dela tem sido o favorito nas listas sobre o destino, graças ao seu ambiente repleto de caprichos e às receitas com raízes nordestinas.

Outra boa opção gastronômica local é o Bistrô Caiçara, comandado pelo chef José Apolinário. Ele prepara ótimos pratos de frutos do mar para serem apreciados a céu aberto, com a lua de Jericoacoara como companheira.

Encontrou algum erro? Entre em contato

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.