Parque dos Sonhos
Parque dos Sonhos

Socorro oferece adrenalina na medida

Atividades cheias de emoção fazem de cidade do interior de São Paulo um parque de diversões a céu aberto

Bruna Tiussu, Especial para o Estado

29 Maio 2018 | 05h00

Quem chega no centrinho de Socorro, a 130 quilômetros de São Paulo, pode até duvidar que a cidade de tamanho diminuto e poucos 40 mil habitantes tenha mesmo tantas atividades a oferecer. É que para aproveitar os grandes atrativos dali há que explorar sua zona rural, onde fazendas e parques se espalham e recebem visitantes a fim de curtir a natureza – ou se aventurar nela.

Uma das componentes do Circuito das Águas paulistas, Socorro tem a sorte de ser banhada pelo Rio do Peixe, que logo atraiu os amantes do rafting. Hoje, o circuito realizado ali é um dos mais procurados no Estado. No trajeto tradicional (a Rios de Aventura cobra a partir de R$ 75 por pessoa), crianças com no mínimo 7 anos podem encarar os quatro quilômetros rio abaixo, com direito a corredeiras de níveis 1, 2 e 3. Ao final, um mergulho na água gelada ajuda a acalmar os ânimos. 

LEIA TAMBÉM: Em Socorro, com o pet a tiracolo

Se a ideia é ver a adrenalina subir ainda mais, pode-se optar pelo percurso de sete quilômetros e mais de 20 corredeiras. E detalhe: algumas são classificadas como nível 4. A atividade é oferecida pela PróximAventura (R$ 110 por pessoa), empresa que também investiu no rafting da Lua Cheia (R$ 165 por pessoa), realizado uma noite por mês.

Para conhecer a natureza local, agora em terra firme, existem opções de passeios a cavalo ou tours feitos de quadriciclo. Há o que leva até a Pedra da Bela Vista, de onde se vê a cidade de Socorro e as montanhas da Serra da Mantiqueira; o que inclui visita a uma cachaçaria artesanal, com direito a degustação de aguardente, queijos, doces e geleias; e o que tem como ponto alto uma cachoeira, para mais um banho refrescante. 

Desafios. Seus filhos são do tipo aventureiros, mas você não? Tudo bem, Socorro conta com espaços que pensam no seu descanso e na diversão dos pequenos. O Parque Monjolinho, por exemplo, tem uma completa estrutura de lazer em meio a muito verde, pássaros e pequenos animais, além possuir uma equipe de monitores para acompanhar as crianças nas diversas atividades. O circuito de arvorismo desafia os pequenos com 17 obstáculos e uma mini tirolesa de 80 metros ao final, enquanto no rapel eles encaram uma descida de 30 metros.

Misto de hotel e parque temático, o Parque dos Sonhos também tem um vasto cardápio de atividades para visitantes mirins, que vão de arvorismo, passando por cavalgada, até espeleoturismo, uma trilha para desbravar uma caverna por dentro. Entre uma e outra atividade, os turistas podem curtir a piscina, a sauna e a sala de jogos ou até ir conhecer a doceria e a queijaria da propriedade.

Do mesmo grupo hoteleiro, o Terra dos Sonhos segue um conceito ainda mais conectado à natureza. Parte da sua estrutura foi construída a partir de contêineres reutilizados, a propriedade possui um casarão centenário revitalizado, uma horta orgânica e criação de animais. Destaque ainda para a verve educativa da minifazenda, onde crianças e adultos podem alimentar carneiros, coelhos e pôneis, e do viveiro interativo, onde podem conhecer e saber mais sobre pássaros que tem a região como seu hábitat. 

Encontrou algum erro? Entre em contato

publicidade

publicidade

publicidade

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.