Bruna Tiussu/ AE
Bruna Tiussu/ AE

Emoldurada por mar e montanhas

Herança das reformas feitas para a Copa do Mundo, no ano passado, a Cidade do Cabo está nova em folha e bela como sempre

Bruna Tiussu,

13 Setembro 2011 | 15h02

CIDADE DO CABO - Os hotéis sofisticados, o estádio supermoderno, as ruas e passarelas novinhas em folha contam que a Cidade do Cabo se renovou. Isso há pouco mais de um ano, quando a África do Sul fazia contagem regressiva para ser a sede do maior evento esportivo do mundo. Graças à Copa de 2010, tudo ficou mais organizado e adequado para receber turistas. Mas o que realmente convida a visitar o destino sempre esteve lá: o litoral recortado, o mar azul e as impressionantes cadeias de montanhas.

 

A geografia privilegiada desta que é uma das três capitais do país é percebida facilmente em um passeio a pé pela região de Camps Bay, que reúne bares e restaurantes ao longo da orla. Ou, em detalhes mais minuciosos e reluzentes, lá do alto, em um voo de helicóptero.

 

O passeio começa ao lado do Victoria & Albert Waterfront, uma reunião de prédios vitorianos – com lojas e hotéis de luxo – que formam a área mais sofisticada dali. Pouco depois de partir rumo ao céu, a Table Mountain e suas cadeias vizinhas surgem em todo seu esplendor. É incrível como aqueles morros que dividem a cidade conferem a ela uma beleza única.

 

Ali ao lado, olhando para a lendária Robben Island, onde o líder Nelson Mandela esteve preso por mais de duas décadas, está o Estádio Greenpoint, esbanjando sua arquitetura circular e coloração clarinha. É como um gigantesco ponto de modernidade se destacando no litoral.

 

O helicóptero vai além. Mas a viagem pode ser tão rápida – o voo mais curto dura apenas 15 minutos, e custa 605 rands (R$ 140; nacmakana.com) – que qualquer bobeada faz perder o clique perfeito da panorâmica formada pela orla recortada e o complexo urbano que termina aos pés das montanhas.

 

Detalhe árabe. Em um dia nublado, as tonalidades daquela área foram o que mais despertou o olhar. Enfileiradas, as casinhas de cores vivas (verde, amarela, rosa, azul, laranja) formam o Bo-Kaap, o bairro muçulmano da Cidade do Cabo. Pelo menos 90% dos moradores dali seguem a religião, tanto que é comum escutar o chamado melodioso característico das mesquitas.

 

O bairro também guarda opções gastronômicas peculiares. É lá que fica o restaurante Noon Gun (noonguntearoom.co.za), que desde 1994 serve o melhor da chamada cozinha cape-malay. Situado na encosta de um morro e com grandes janelas de vidro, há como provar os tradicionais pratos à base de curry diante da vista inconfundível da Table Mountain.

Encontrou algum erro? Entre em contato

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.