Encantadoras faixas de areia nos quatro cantos

Faça como os 'farofeiros': abasteça o carro de comida e bebida e saia para explorar o litoral. A seguir, uma seleção das melhores paradas para banho, surfe e muita diversão

LE PRÊCHEUR, O Estado de S.Paulo

06 Dezembro 2011 | 03h07

Nas praias da Martinica, "farofeiros" são maioria. Não carregam a pecha de deselegantes nem viram alvo de olhares de reprovação. Levar comida, bebida, isopor, canga e cadeira é a escolha mais sensata para passar um dia à beira-mar. Explica-se: nas faixas de areia de toda a ilha, é raríssimo ver um bar ou restaurante. Existem apenas mesas para piquenique, instaladas pelo governo. O comércio fica lá do outro lado do asfalto.

Como consequência, a orla é tão preservada que chega a surpreender. Na costa oeste, voltada ao Mar do Caribe, as águas são calmas; na leste, diante do Atlântico, há ondas.

O ideal é dividir a ilha em setores e privilegiar distâncias pequenas, para não passar muito tempo dentro do carro. Com esta dica anotada, veja a seguir as porções de areia realmente imperdíveis. E monte o seu roteiro.

Mar do Caribe, Norte

Anse Couleuvre, uma enseadinha de mar calmo, é o destaque da face norte caribenha da ilha. A aventura começa no acesso: uma serra pequena, mas bem tortuosa, capaz de provocar frio na barriga. Da praia parte a trilha de nível médio de dificuldade para Grand Rivière, passando pela deserta Anse à Voile, em uma caminhada pelo meio da mata com vistas incríveis do Mar do Caribe.

Perto de Anse Couleuvre está Anse Cerón, na cidade de Le Prêcheur. Tranquila e bastante procurada para nado com snorkel nas formações rochosas, tem boa infraestrutura: estacionamento, chuveiros e banheiros públicos.

Em Carbet, além da beleza das praias de mar calmo e transparente, chama a atenção a vista para o Monte Pelée (leia mais na página 11). O pôr do sol costuma segurar turistas na areia até o último fio de luz. E há um pequeno centro gastronômico por ali - o simpático Petibonum faz uma competente mistura das culinárias francesa e creole.

Mar do Caribe, Sul

Na porção sul da costa caribenha está a maior concentração de turistas na Martinica. Próxima do aeroporto, a área conta com rede hoteleira ampla e abriga o movimento de Pointe du Bout. Por lá ficam a bela Anse Noire, de areias escuras por causa da origem vulcânica da ilha, e a vizinha Anse Dufour, em uma vila de pescadores, considerada uma das praias mais bonitas da Martinica.

A região de Anses D'Arlet atrai visitantes que aproveitam o mar calmo para atracar seus barcos nas águas incrivelmente azuis. Muitas casas de veraneio estão localizadas na beira da areia e é possível avistar espécies marinhas com snorkel bem perto da costa. Mais ao sul, Anse Diamant fica no caminho, e deve seu nome a uma estrutura rochosa no mar em forma de diamante. Lá também se pode ver um monumento em homenagem aos escravos, dos quais 90% da população da ilha descende.

Quem procura um lugar para passar o dia inteiro deve ir a Anse Figuier, talvez a mais bela praia da Martinica. A faixa de areia é curta, o que possibilita aproveitar as sombras dos coqueiros bem perto do mar. A água, morna e transparente, oscila do azul para o verde. É uma enseada de perder o fôlego. Curiosamente, apenas nesta praia existe uma placa avisando que "todo tipo de nudismo é proibido" - nas outras, é muito comum o topless.

No extremo sul da ilha, duas praias emblemáticas: Pointe Marin e Les Salines costumam atrair jovens. Fora da faixa de areia é possível encontrar bares, restaurantes e até ambulantes que vendem cangas e alguns tipos de artesanato. Nos fins de semana, vendedores de chichi, um petisco que lembra o churros sem recheio, se instalam por ali. Ao lado, a Petit Anse des Salines é uma praia de nudismo consagrada: só se chega até lá por uma trilha a pé.

Oceano Atlântico, Sul

Anse Trabaud, a primeira praia visitada na costa do Oceano Atlântico, evidenciou a diferença em relação ao lado caribenho da ilha: grandes ondas tornam o mar mais apropriado a surfistas e praticantes de kitesurfe. A areia, no entanto, é mais clara e o mar, mais azul.

Banhistas ficam mais à vontade em Cap Chevalier e Anse Michel - uma barreira de corais diminui a força das ondas e torna o mar convidativo. Tanto que você vai encontrar muitos turistas por ali. Bastante frequentada também é a região de Le Robert e Le François, que têm a oferecer belos passeios de barco. Dali, os turistas são levados aos famosos Fonds Blancs, bancos de areia branquíssima localizados a quilômetros da costa. Algumas ilhotas, que serviam de entrepostos comerciais na época da escravidão, são vistas durante o passeio.

Oceano Atlântico, Norte

Uma visita à Península de Tartane, na parte norte do litoral atlântico, completa o circuito pelas melhores faixas de areia. Perto de La Trinité, as praias por ali têm uma paisagem bem diferente de todas as outras do restante da ilha. Há muitos pescadores e vegetação farta. Dê uma olhada em Anse l'Etang e na bela Anse Bonneville, considerada a praia dos surfistas. / PAULO FAVERO

Martinica

Encontrou algum erro? Entre em contato

publicidade

publicidade

publicidade

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.