Encanto de velhos e novos mestres

Programão para visitantes aficionados por arte e ciência: há mais de 30 museus espalhados por lá

Humberto Maia Junior, O Estado de S.Paulo

27 Janeiro 2009 | 01h32

Com fachadas barrocas ou neorrenascentistas, Dresden "coleciona" 30 museus em seus 328 quilômetros quadrados. Obviamente nem todos são dignos de um olhar mais atento e uma visita demorada. Por isso, para você não perder tempo, selecionamos os que possuem os acervos mais interessantes, que podem figurar entre as coleções mais ricas do mundo. Veja, a seguir, o que existe de melhor dentro das pomposas construções da cidade alemã.     Presenças ilustres em uma das cinco galerias localizadas no Zwinger   Veja também: Deixe-se enganar pelo centro 'antigo' de Dresden Gëmaldegalerie Alte Meister A Galeria dos Velhos Mestres tem um dos melhores acervos de pintura da Europa, montado principalmente por Augusto, o Forte, e pelo filho, Augusto III. Talvez o quadro mais bonito seja a Madona Sistina, pintado em 1513 pelo artista renascentista italiano Rafael. Por lá também há criações dos holandeses Jan Vermeer (Moça Lendo Carta) e Rembrandt (Autorretrato com Saskia) e do italiano Ticiano (Dinheiro do Tributo). Galerie Neue Meister Na Galeria dos Novos Mestres destacam-se pinturas dos séculos 19 e 20 assinadas por Van Gogh, Degas, Monet e Gauguin, entre outros gênios da arte. Também há obras de artistas alemães menos conhecidos internacionalmente, como o impressionista Max Liebermann e os expressionistas Schmidt Rottluff e Max Pechstein. Porzellansammung Obcecado pela delicada porcelana oriental, Augusto, o Forte, montou um dos maiores acervos do mundo de peças desse material. Destaque para os vasos de dragões e a coleção da fábrica de Meissen, que inclui a baixela de cisne. Mathematisch-physikalischner Salon Aficionados por ciências vão se divertir com o acervo dos séculos 16 e 19 nas áreas de física e matemática. Na coleção, relógios automáticos, globos terrestres e sextantes. Rüstkammer Outra ala do Zwinger abriga 1.300 artigos de guerra. Há armas e armaduras curiosas, como uma para crianças. Informações dos museus: www.skd-dresden.de/en/museen Choque de gerações Dresden é fascinante. Mas guarda uma herança, ainda não superada, dos tempos do regime comunista. A população mais velha é conservadora - e muitas vezes rude. Alguns se sentem incomodados com os estrangeiros. Dica às mulheres: para não receber olhares de reprovação, é bom evitar roupas justas, blusas decotadas e saias curtas. Os mais jovens não têm a mesma atitude. Muitos falam inglês e, por isso mesmo, podem tirar suas dúvidas.

Mais conteúdo sobre:
Alemanha viagem Dresden

Encontrou algum erro? Entre em contato

publicidade

publicidade

publicidade

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.