Enciclopédia do mundo animal. Ao vivo

Na savana sul-africana, as ilustrações se mexem, emitem sons, têm cheiro e parecem até posar para sua foto. Há várias reservas pelo país, é só escolher onde 'caçar' os cobiçados 'big five'

O Estado de S.Paulo

25 Maio 2010 | 01h55

Grandes e queridos. Os elefantes são uns dos animais mais procurados pelos turistas que chegam à África. Foto: Mary Alexander, MediaClubSouthAfrica.com 

 

 

Haja tromba

A 74 quilômetros de Port Elizabeth, um santuário natural rico em fauna e flora merece espaço no roteiro de viagem de qualquer turista: Parque Nacional Addo Elephant. São 164 mil hectares de reserva, que incorpora o maior campo de dunas costeiras do hemisfério sul. Há 450 elefantes no local, uma das populações mais densas da espécie no mundo.

Outra curiosidade que vale a visita: o parque é um dos poucos lugares onde é possível encontrar os big seven: além de leões, búfalos, leopardos, rinocerontes e elefantes, são encontrados por ali baleias e grandes tubarões brancos.

No inverno, são cinco saídas diárias de safáris guiados, às 6h, 9h, 12h, 15h e 16h. No verão, há uma saída a mais, às 18h, para que os grupos possam curtir o pôr do sol na savana. Algumas agências também oferecem safári à noite. Mais: www.addoelephant.com.

 

 

A mais antiga

Nada de grades ou vidros. O safári na Sabi Sand, assim como em outras reservas privadas, é feito em jipe aberto que transporta de 6 a 12 pessoas. O parque, a 500 quilômetros de Johannesburgo, é a mais antiga reserva particular do país. Lá, há espécies como leões, rinocerontes e elefantes. Os portões abrem às 5 e fecham às 23 horas. Mais: www.sabisand.co.za.  

   

 

Que amor

Nem todo turista vai à África com ideia fixa de encontrar grandes jubas e fortes rugidos. Há quem queira ver o lado ternura da vida selvagem. Para esses, há a Walk with Lions, atração do parque privado Horseback Africa, a uma hora do Aeroporto Internacional de Johannesburgo. Trata-se de caminhada de dois quilômetros na companhia de filhotes de leão, com aproximadamente oito meses de vida.

 

Durante o passeio, há pitstop para os felinos matarem a sede no lago e afiarem as garras nos troncos das árvores. O visitante também tem contato com outros filhotes de leão da reserva. Na visita de duas horas, dá para fazer carinho no dorso, pegar no colo e até dar mamadeira para os pequeninos, de um mês. Também é possível fazer cavalgadas para observar outros animais que vivem soltos na propriedade como girafas, zebras, antílopes, guinus e búfalos. Mais: www.horsebackafrica.com.

 

 

Amigas. As zebras também encantam os que decidem explorar os parques e safáris africanos. Foto: Mary Alexander, MediaClubSouthAfrica.com 

 

 

A mais extensa

Vinte mil quilômetros quadrados, praticamente o tamanho do Estado de Israel. Essa é a dimensão do Kruger Park, maior reserva para safári da África do Sul, que fica em Nelspruit, perto da fronteira com Moçambique. São cerca de 32 mil zebras, 10 mil elefantes, 9 mil girafas e 1.500 leões. Por essas proporções dá para deduzir que também é lá que o visitante tem grandes chances de encontrar os big five: elefante, búfalo, rinoceronte, leopardo e leão.

 

Riscar os animais mais temidos do território africano de sua lista de cobiça turística requer uma certa dose de sacrifício. É preciso madrugar, enfrentar o frio cortante da savana e conter o ímpeto do seu dedo nervoso, que não resistirá à tentação de ultrapassar o limite do zoom ótico da máquina fotográfica ao ver um leão frente a frente. De maio a agosto, o parque abre às 6h30 e fecha às 19h30. Se não estiver hospedado nos lodges da reserva, é melhor chegar lá antes de os portões se abrirem. Leve óculos de sol, binóculos, casacos e luvas. Mais: www.krugerpark.co.za.

 

 

Savana e praia

Savana, praia, rio. A reserva particular Phinda, a 270 quilômetros de Durban, é uma alternativa para o turista que quer ver leões e elefantes, mas também não abre mão de um mergulho em recifes de corais. O parque, com 23 mil hectares de terra selvagem, fica na Zululândia, na costa do Índico. Pesca em alto-mar e passeio de barco pelo Rio Mzinene, para ver pássaros, crocodilos e hipopótamos, estão entre as atrações. Na savana, há tanto rinocerontes brancos como negros. Mais: www.phinda.com.

 

 

Foto certa

Na Kapama Game Reserve, uma área particular perto do Kruger, é possível fazer até três safáris por dia. Quem gosta de levar susto vai se decepcionar com a docilidade dos leões. Eles olham para o visitante até com um certo desdém, mesmo quando acompanhados dos filhotes. Os rinos também são tranquilos, desde que o visitante não fique agitado. Nesse caso, é possível chegar, de carro, a dois metros deles para fotografar. Elefantes são mais invocados. Para chegar ao parque, basta pegar uma conexão até a cidadezinha de Hoedspruit, no norte da África do Sul. Mais: www.kapama.co.za.

Encontrou algum erro? Entre em contato

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.