Enquanto a obra não vem, a coroa é o limite

Os cobiçados tíquetes para chegar até o topo da estátua devem ficar mais difíceis após o [br]anúncio do fechamento

O Estado de S.Paulo

17 Agosto 2010 | 02h18

Não que seja uma tarefa turística impossível comprar bilhetes para ver a silhueta de Nova York a partir do topo da Estátua da Liberdade. Mas desde que a coroa foi reaberta ao público, no ano passado, só os viajantes organizados conseguem os tíquetes, adquiridos com bons meses de antecedência.

Pois a disputa pelas entradas tem tudo para aumentar exponencialmente. Os responsáveis pela manutenção do monumento anunciaram na semana passada que a estátua ficará fechada por um ano, a partir de 12 de outubro de 2011. Então, se você está pretendendo chegar até a coroa em sua próxima viagem, convém não perder tempo.

São admitidas no topo apenas 240 pessoas por dia. E entradas, agora, só a partir da primeira semana de novembro. O site www.statuecruises.com deve ser a sua primeira parada em busca dos tíquetes. Escolha de onde quer partir - quem fica na Big Apple precisa começar anotando o endereço Battery Park.

Na sequência, é só clicar na opção "reserve with crown tickets" e realizar a compra online. Por US$ 15 (R$ 26,60) o visitante tem direito a ir e voltar de ferryboat, entrar no pedestal e no museu da estátua e subir até a coroa. Atenção: as entradas são nominais e o titular do cartão de crédito precisa pegar os bilhetes pessoalmente.

Na hora de seguir para o topo da estátua, os turistas têm de deixar bolsas e mochilas no guarda-volumes - lá para cima só é permitido levar uma câmera fotográfica. O telefone celular, por exemplo, será liberado apenas se o aparelho for a sua única câmera. E garrafinhas com líquidos estão proibidas. Tudo por motivos de segurança.

Melhorar a segurança, aliás, é justamente a razão para a interdição do monumento a partir do próximo ano. O projeto de US$ 26 milhões inclui instalação de escadas à prova de incêndio, elevadores e saídas de emergência, segundo o superintendente do Monumento Nacional Estátua da Liberdade, David Luchsinger. Hoje, a única saída a partir do topo é uma escada estreita.

Durante o período de reforma, os turistas serão autorizados a visitar apenas o parque no entorno da estátua. Mais de 5 milhões de pessoas vão até o monumento a cada ano.

Island Cruise

Quem não faz questão de descer na Liberty Island pode fazer boas fotos no tour que passa por Estátua da Liberdade, Ellis Island, Ponte do Brooklyn e outros highlights. Por US$ 12. Mais: www.statuecruises.com

Encontrou algum erro? Entre em contato

publicidade

publicidade

publicidade

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.