Mônica Nóbrega/Estadão
Mônica Nóbrega/Estadão

Enquanto Pandora não vem, tour à la Simba Safári

Assim como no Busch Gardens, o Animal Kingdom da Disney tem sua versão de tour entre animais. No Kilimanjaro Safari, os grupos vão sentados em caminhões - e não é preciso pagar um ingresso à parte. No tour, com cara de Simba Safári, dá para ver girafas, leões, antílopes, hipopótamos, flamingos, zebras. Divertido.

LAKE BUENA VISTA, O Estado de S.Paulo

25 Junho 2013 | 02h18

O parque, contudo, se ressente de atrações de peso. Depois de Expedition: Everest, em 2006, não houve grandes novidades. Tudo deve mudar no ano que vem, quando uma área temática dedicada ao blockbuster Avatar será inaugurada. A expectativa é grande: o planeta Pandora e sua fauna e flora peculiares, além dos gigantes navis, estarão por ali. E o lançamento deve ocorrer ao mesmo tempo em que James Cameron lançará o segundo filme da saga.

Enquanto isso, os dias de calor pedem uma voltinha no Kali River Rapids. O barco redondo percorre as corredeiras do Rio Chakranadi pelo parque e deixa todo mundo inevitavelmente molhado. Muita farra, com níveis moderados de frio na barriga. Antes de se encharcar, divirta-se com o 3D It's Tough to be a Bug!, inspirado no filme Vida de Inseto. A atração fica dentro de uma gigantesca árvore, e agrada sem muitas estripulias: aroma de flores, borboletas que voam ao seu lado. Dá até vontade de pegá-las.

 

Cara a cara com o Yeti

 

Um amigo me disse uma vez que dá para saber a intensidade da montanha-russa pela maneira como você vai amarrado nela. Se tem muitas travas, se segure que o troço é radical mesmo. Não é o caso de Expedition: Everest. Mas quem disse que para ser divertido é preciso ser muito radical?

 

Você vai sentado em um carrinho, com uma trava apenas para as pernas. É nele que você e outros aventureiros sobem até o alto do Everest (de onde se avista todo o parque). Mas há um problema: os trilhos sumiram!

 

O carrinho, então, volta de ré, a toda velocidade, entra em túneis e para. Você só vê a sombra: o Yeti (ou, como dizemos por aqui, o Abominável Homem das Neves) está destruindo os trilhos. É preciso fugir, e rápido.

 

Alternando trechos ao ar livre com outros indoor, que aumentam a expectativa, a diversão é certa. Quem disse que encontrar o Yeti não tem um lado bom? /A.M.

Encontrou algum erro? Entre em contato

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.