Espanha: o básico em 15 dias

A Espanha é bem maior do que a gente imagina. Aí vai um roteiro redondo para cobrir o básico do básico, usando trem, carro e avião. Chegue por Madri, fique quatro noites. No dia da chegada, faça a ronda dos bares de tapas da Calle Cava Baja, perto da Plaza Mayor. Há vários destinos interessantes para bate-voltas; os mais fáceis são Toledo e Segovia, ambos a 30 minutos de trem. Vá a Sevilha de trem: saia cedo e, no caminho, pare em Córdoba para ver a mesquita. Compre duas passagens separadas: Madri-Córdoba e Córdoba-Sevilha. Deixe as malas no guarda-volumes da estação. Preveja um intervalo de 5 ou 6 horas, para dar tempo também de almoçar.

RICARDO , FREIRE, O Estado de S.Paulo

28 Maio 2013 | 02h09

Fique três noites em Sevilha. Passe na Casa de la Memoria al-Andaluz ou no Museo del Baile Flamenco (da bailarina Cristina Hoyos) e compre ingressos para o espetáculo da noite. Sai mais em conta e é menos voltado ao turismo de massa. Querendo ouvir flamenco entre sevilhanos, vá tarde da noite ao bairro de Triana.

Alugue um carro quando deixar Sevilha. Saia cedo em direção a Vejer de la Frontera, um pueblo blanco charmosíssimo, a 160 km. Se for verão, aproveite o dia comprido para tomar sol em Bolonia, a praia de Tarifa que Daniela Cicarelli tornou famosa. Tire o dia seguinte para fazer a Rota dos Pueblos Blancos, uma estradinha superfotogênica que leva a Arcos de la Frontera e a cidadezinhas minúsculas da Serra de Grazalema. Passe a noite em Ronda e fique a manhã seguinte: visite a Plaza de Toros, debruçada num despenhadeiro que, por si, já valeria a viagem. Siga com calma a Granada (duas noites) e entregue o carro.

O segundo dia em Granada será dedicado à Alhambra, palácio mouro que é o principal monumento espanhol. É preciso comprar o ingresso (que tem hora marcada) com antecedência em ticketmaster.es. Voe a Barcelona para as últimas quatro noites. O ideal é voltar de Barcelona; se for voltar de Madri, vá de trem, na véspera.

* Na próxima semana o colunista responde

às perguntas dos leitores

Encontrou algum erro? Entre em contato

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.