Especialista em porco

O nome significa "O Porco de Peste" e resume bem as atrações deste animado bar, situado na parte da cidade conhecida como Peste. Tamas Berznay, que fundou o restaurante, trabalhou uma temporada como chef pessoal do presidente húngaro e, antes disso, comandou a cozinha do Karpatia, um desses excelentes restaurantes de Budapeste com tetos dourados e serenatas ciganas. Mas no Pesti Disznó a aposta de Berznay foi fazer uma culinária animada, num ambiente mais agitado - características que foram preservadas por seu sucessor, Gyula Molnar. O Pesti Diszno é uma espécie de Momofuku (aclamada rede de David Chang) húngaro: barulhento e moderno, com pratos surpreendentemente bons e muita carne suína.

O Estado de S.Paulo

11 Junho 2013 | 02h08

Funcionando há pouco mais de um ano, o restaurante já se estabeleceu como um dos melhores lugares da cidade para experimentar carne de mangalitsa, um tipo de porco húngaro de pelagem comprida que quase se extinguiu nas fazendas do regime comunista, mas que, nos últimos tempos, vem passando por certo revival gourmet. Bem marmorizada e de sabor marcante, a carne aparece aqui tanto em trajes tradicionais (um goulash apimentado) como em roupagem mais moderna (um hambúrguer suculento, embebido em molho de iogurte com gorgonzola). Fatias de lombo grelhado, cujas extremidades ligeiramente tostadas conferem certo amargor para contrabalançar o sabor pujante da carne, são uma excelente introdução às glórias do mangalitsa (o bolo de batata crocante, coberto com uma camada de queijo de leite de cabra, também cai muito bem).

O restaurante diz ser "o primeiro bar de tapas de Budapeste", e o cardápio inclui uma série de pequenas porções que são muito pedidas no começo da noite por uma clientela elegante, instalada em torno de mesas altas. Apesar de não haver verduras à vista, o menu inclui algumas opções de carne não-suína - um terroso caldo de faisão, por exemplo, ou um suave patê de foie gras com palinca, o forte destilado de frutas local. O jantar para dois, sem vinho, custa em média 7.650 forintes

(R$ 72). Site: pestidiszno.hu.

Encontrou algum erro? Entre em contato

publicidade

publicidade

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.