Turismo de Marrocos
Turismo de Marrocos

Essaouira, para curtir num bate-volta ou num fim de semana

Várias agências fazem roteiros bate-volta até a charmosa cidade litorânea a partir de Marrakesh

Mari Campos, especial para o Estado, O Estado de S.Paulo

27 de agosto de 2019 | 04h50

Muita gente aproveita os voos baratos da Europa para Marrakesh para fazer sua primeira visita ao Marrocos conhecendo somente sua cidade mais turística e arredores. Afinal, Marrakesh é uma excelente base para explorar outros destinos próximos em passeios

de um dia, tipo bate-volta.

Diversas agências locais vendem esses passeios. Os mais comuns levam à litorânea Essaouira e ao belo Vale de Ourika.

O Vale de Ourika, formado pelo rio homônimo e instalado em meio às montanhas da exuberante cadeia do Atlas, compõe uma das paisagens mais visualmente arrebatadoras do Marrocos. Além da beleza natural incontestável das montanhas e do vale em si, os passeios a Ourika costumam contemplar também visitas a vilarejos berberes dos séculos 16 e 17 (com algumas casas parecendo “penduradas” nos rochedos), coperativas femininas de produção de óleo de argan e belíssimas cachoeiras, com destaque para as sete cascatas de Setti Fatma.

 Na rota para Essaouira, é comum que os tours parem para os turistas fotografarem as célebres cabras que sobem nos galhos das árvores de argan, abundantes nessa região. Antigo porto no Atlântico entre Agadir e Casablanca, Essaouira é hoje um dos pedaços mais tranquilos e gostosos do Marrocos – uma deliciosa mistura de culturas árabe, berbere, judaica, africana e europeia.

Puro charme

Foram os portugueses que construíram as muralhas que cercam Essaouira. A cidade, que chegou a ser chamada de Mogador pelos portugueses na época das grandes navegações, atrai forasteiros desde antes de Cristo, quando fenícios montaram uma base por lá. Depois, nomes como Churchill, Orson Welles, Cat Stevens, Jimi Hendrix e Frank Zappa a colocaram na rota dos jet-setters. Uma espécie de Trancoso marroquina, por assim dizer.

Tombada pela Unesco, sua medina de casinhas brancas e telhados azuis é um de seus principais atrativos. Vários cafés e restaurantes têm mesas na varanda para os dias ensolarados – caso do clássico Taros Café. No souq, aproveite para comprar especiarias, cerâmicas, prataria e souvenirs. Fora da medina, um belo porto, praias de areia dourada e muito, muito vento garantem a alegria dos praticantes de windsurfe. Observar os pescadores em franca atividade também é uma delícia. 

Para receber esse público exigente, não é de se estranhar que a cidade seja conhecida por seus hotéis de charme, pelas galerias de arte e pelos muitos festivais de música que recebe ao longo do ano, como o Les Alizées e o Ganaoua Festival.

 

Tudo o que sabemos sobre:
Marrocos [África]

Encontrou algum erro? Entre em contato

Comentários

Os comentários são exclusivos para assinantes do Estadão.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.