Marcos de Paula/Estadão
Marcos de Paula/Estadão

Estranhos no porão do avião

Animais de grande porte, alimentos e restos mortais viajam no mesmo avião que você

Ludimila Honorato, Especial para O Estado

22 Novembro 2016 | 05h20

A passagem do maior avião do mundo, o Antonov 225, pelo Brasil dias atrás causou comoção. Curiosos lotaram os acessos dos aeroportos de Viracopos, em Campinas, e Guarulhos, onde a aeronave pousou para recolher equipamentos de grande porte e levá-los ao Chile. 

O supercargueiro e a operação especial, porém, são exceção. A maior parte da carga que cruza os céus do País vai como qualquer turista: dentro de um avião convencional de uma companhia aérea regular. 

“Os aviões cargueiros têm o mesmo custo dos de passageiros, mas uma dedicação só à carga teria de compensar todo o custo”, explica Diogo Elias, gerente do setor comercial doméstico da Latam Cargo.

Para diminuir os gastos, passageiros podem ter como colegas de viagem um animal de grande porte – que tal um tubarão? –, um carregamento de frutas e até um caixão com restos mortais. 

A seguir, veja alguns tipos de cargas possíveis nos voos de passageiros e o que é preciso para embarcá-las. Se quiser saber mais curiosidades sobre o assunto, acesse bit.ly/avioesecargas

Animais vivos. Todo animal precisa de atestado de saúde e carteira de vacinação em dia. Animais silvestres, exóticos ou para comercialização devem andar com a Guia de Trânsito Animal (GTA), nota fiscal e autorização do Ibama. Cães e gatos podem ir junto com o dono ou no porão de cargas, dependendo do porte. Também é indispensável seguir as orientações da companhia aérea escolhida.

Veja dicas em vídeo para viajar com animais de estimação.

Restos mortais. Esse tipo de carga tem prioridade no embarque. Os restos mortais podem estar em um caixão, na forma de cinzas ou ossada; é necessária a declaração correspondente, certidão de óbito e documento de identidade da pessoa falecida e do responsável pelo despacho. O transporte é feito em urnas ou outras embalagens especiais para cada tipo.

Produtos perecíveis. Jornais, plantas e alimentos são produtos que também têm prioridade no embarque devido ao tempo de validade. Quem despacha deve providenciar as embalagens certas para cada produto a fim de evitar vazamentos ou mau cheiro. Por exemplo, produtos líquidos ou imersos em água precisam ser acondicionados em materiais absorventes. 

Artigos perigosos. São divididos pela ONU em nove classes de acordo com o grau de risco. Explosivos, gases, líquidos e sólidos inflamáveis ou material radioativo, por exemplo, são manejados por funcionários treinados. Todos são armazenados em áreas específicas do terminal de cargas e transportados isoladamente no porão do avião.

MAIS CURIOSIDADES:

1. Cargas de valor (como joias, ouro e pedras preciosas), bebidas alcoólicas, instrumentos musicais, material cenográfico, órgãos para transplante e materiais biológicos também podem ser levados em aviões, mas nem todas as companhias aéreas fazem esse transporte.

2. Cães e gatos braquicefálicos (de focinho curto), como o buldogue ou gato persa, não viajam em aviões comerciais devido às necessidades de respiração. Eles são transportados em aeronaves cargueiras, então é preciso verificar se a companhia trabalha com essa modalidade.

3. A Gollog, empresa de transporte de cargas da Gol, já transportou mais de 24 mil animais nos últimos 12 meses.

4. Em 2011, a Latam Cargo transportou um tubarão em um avião comercial, com passageiros. O animal tinha 1,80 metros de comprimento, 75 quilos e o peso total da caixa, com o tubarão em um tanque com água do mar em temperatura controlada, foi de 1,2 tonelada.

 

Leias mais: Dicas para voar melhor na classe econômica

Mais conteúdo sobre:
Brasil Campinas Chile Ibama ONU

Encontrou algum erro? Entre em contato

publicidade

publicidade

publicidade

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.