Estudar fora do Brasil

Depois de concluir a faculdade de Administração com ênfase em Comércio Exterior, Patrícia Ciccone, de 28 anos, decidiu estudar inglês na Austrália. "Não ia conseguir emprego na minha área se não dominasse o idioma", explica. Assim como Patrícia, cada vez mais pessoas procuram estudar fora do Brasil para melhorar o currículo. Patrícia começou o planejamento seis meses antes de sair do Brasil. Era preciso decidir qual passagem comprar, que curso fazer... A cidade estava escolhida: a ensolarada Cairns, no norte da Austrália. "Fui numa agência de viagens e eles me passaram tudo, inclusive a relação das escolas", conta. Foram quatro meses em um curso intensivo, das 9 às 16 horas, e mais dois meses para obter o certificado de Cambridge, que comprova a proficiência na língua. "Recomendo os cursos mais especializados, porque as turmas são mais fortes e exigem mais dedicação", afirma. "Nos tradicionais há muitos orientais, que têm mais dificuldade com o inglês." Quem procura aperfeiçoar o idioma não precisa, necessariamente, ficar meses longe de casa como fez Patrícia. Há intensivos de um mês ou até menos - mas, neste caso, talvez não haja tempo suficiente para absorver o aprendizado. Na STB, o curso de um mês no Canadá, com acomodação em casa de família custa, em média, R$ 4.670. Escolha bem o tipo de acomodação. Quem prefere liberdade pode optar pela residência estudantil, disponível em algumas escolas. O homestay, ou casa de família, permite contato integral com o idioma e a cultura do país. O estudante costuma ter o próprio quarto e pode ter refeições incluídas. Mas é preciso seguir as regras da casa. O inglês é o idioma mais procurado, mas pode-se optar também por complementar o currículo com francês, espanhol e até mandarim. Isso sem falar nos combinados, que misturam idiomas com cursos de dança ou música, por exemplo. Na Connection Line, o combinado com 12 horas de cinema e mais 20 horas de inglês semanais sai por US$ 710. STB: www.stb.com.br; Connection Line: www.connectionline.com.br

O Estado de S.Paulo

30 Dezembro 2008 | 00h55

Encontrou algum erro? Entre em contato

publicidade

publicidade

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.