Visit Norway/Divulgação
Visit Norway/Divulgação

Explosões solares causam o fenômeno nos polos

Retirada a poesia, a aurora boreal nada mais é que um fenômeno eletromagnético: o que se vê são partículas atômicas que foram expelidas em uma explosão solar ocorrida 18 horas antes de se tornarem visíveis na Terra. Quanto mais intensas as explosões (que a cada 11 ou 12 anos têm maior intensidade), maiores as auroras. Segundo a Nasa, estamos no auge deste ciclo.

O Estado de S.Paulo

26 Março 2013 | 02h14

A atmosfera terrestre funciona como um escudo: as partículas se chocam na massa de ar, diminuem a velocidade e o sentido de sua trajetória é deslocado, como se "escorregassem" atraídas pelo magnetismo exercido pelos polos Norte ou Sul. O que vemos daqui são as luzes dessas partículas em atrito com a atmosfera. Como se deslocam em velocidade, o manto luminoso se move como os véus de uma bailarina. /L.S.

Encontrou algum erro? Entre em contato

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.