Fé e cor nas celebrações mineiras

Tomadas de religiosidade, Cidades Históricas comemoram como se deve: com procissões e extensos tapetes

Lucas Frasão, O Estado de S.Paulo

13 de maio de 2008 | 02h34

Você mal saiu da folga do Dia do Trabalho e já é hora de arrumar as malas mais uma vez: o feriado de Corpus Christi, em pouco mais de uma semana, será a última oportunidade para descansar por quatro dias ( 22 a 25) em 2008. Sim, este é um ano de pouca sorte para os viajantes - no segundo semestre, as manjadas datas ''emendáveis'', como Sete de Setembro (Independência do Brasil), caem em fins de semana. Por isso, não perca mais tempo e prepare-se agora para pegar a estrada.       Veja também:Saia despreocupado pelo PaísDe folga em um hotel, com toda a mordomiaDescanso com charme por menos de R$ 3 mil É possível curtir a data como se deve, ou seja, tomado de religiosidade. E, para isso, não há nada melhor do que visitar as cidadezinhas mais católicas de Minas Gerais, que recebem com fervor esse período do ano. O colorido espetáculo de fé no Estado ocorre em meio a ladeiras cenográficas e construções de estilo barroco.Ouro Preto, a 99 quilômetros de Belo Horizonte, faz parte dessa importante celebração. De acordo com o secretário de Cultura e Turismo do município, Gleiser Boroni, cerca de 10 mil pessoas passam pela cidade a cada dia nos feriados prolongados. ''No Corpus Christi não vai ser diferente'', diz.Com seu requinte colonial, Ouro Preto fica mais charmosa ao ser coberta pelos tapetes coloridos. Eles guiam a procissão até a Igreja do Pilar, que ocorre logo após a missa, na manhã de quinta-feira, dia 22.A apenas 12 quilômetros dali, em Mariana, a procissão vai sair da Igreja Nossa Senhora de Assunção, acompanhada de dezenas de crianças vestidas de anjos. A comitiva percorre o trajeto dos tapetes feitos com serragem e flores. Nos casarões ao longo do percurso, toalhas de renda são penduradas nas sacadas pelos moradores. Com o tema A Eucaristia é o Pão que Alimenta a Nossa Missão, a festa de Corpus Christi da cidade deve receber cerca de 4 mil visitantes neste ano.Se você estiver disposto a ir um pouco mais longe, viaje cerca de duas horas e meia, a partir de Mariana, para chegar a São João del Rey. Com 80 mil habitantes, o município histórico deverá receber 15 mil turistas para o feriado.Por lá, a missa de quinta-feira está programada para as 9h30 na Catedral Nossa Senhora do Pilar, fundada em 1711, que também é o ponto de partida da procissão, na parte da tarde. Ela vai percorrer as principais ruas do Centro Histórico de São João del Rey - as vias estarão ornamentadas com tapetes, é claro.FOLCLORE NOTURNOAproveite a estada na cidade para fazer um passeio bem diferente. Depois que o sol se põe, as ruas são iluminadas apenas com lampiões - é nesse momento que um grupo sai para explorar os becos do Centro Histórico. O city tour noturno da Coopertur (que tem o apoio da Secretaria de Turismo) custa apenas R$ 5 e inclui guias para narrar histórias folclóricas da região. ''Nós já fizemos excursões com mais de 120 pessoas'', conta Jadir Jânio da Silva, de 47 anos, um dos coordenadores do projeto. Desta vez, haverá uma única saída, do Largo da Igreja São Francisco de Assis, no sábado, dia 24, às 19 horas.Experimente também a excursão na maria-fumaça. Com duração de aproximadamente meia hora, o passeio vai até a cidade de Tiradentes, a 15 quilômetros de São João del Rey. Pelo caminho, o cenário fica por conta da Serra de São José, entremeada pelo Rio das Mortes. O ingresso de ida e volta sai por R$ 25 por pessoa.Tiradentes tem festa semelhante no Corpus Christi. Na quinta-feira, dia 22, a procissão vai sair da Matriz de Santo Antônio, às 17 horas, seguindo o rastro dos tapetes. Para este ano, também está programada uma apresentação teatral do ator Jaime Leibovitch, interpretando poemas e canções de Vinícius de Moraes, no Largo das Forras, às 20 horas de sexta.Outra mineira ligada na celebração é Congonhas, a 127 quilômetros de Tiradentes. Por lá, os tapetes ornamentam o trecho que vai da Igreja Nossa Senhora da Conceição até a Basílica do Senhor Bom Jesus. É o mesmo trajeto por onde vai passar a procissão, que deverá reunir mais de 10 mil turistas na cidade durante o feriado.

Encontrou algum erro? Entre em contato

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.