Florença, a mais perfeita obra renascentista da Europa

Botticelli, Da Vinci e Donatello ajudaram a compor esse museu ao ar livre

Camila Anauate, O Estado de S.Paulo

07 Abril 2009 | 02h46

Parece montagem. O Rio Arno e suas pontes, o labirinto de ruazinhas e as colinas verdes ao fundo compõem um cenário irretocável. Ainda nele, igrejas, galerias e praças repletas de obras que fazem de Florença o mais perfeito monumento renascentista da Europa.

 

Veja também:

linkPrazeres da ensolarada Toscana 

linkO clima medieval de San Gimignano 

linkEncontro com o passado do outro lado da Ponte Vecchio 

linkAnimação ao redor do câmpus 

linkCurvas das montanhas ocultam vilas pitorescas 

linkNas garrafas, o melhor da paisagem 

linkReceitas simples para saborear com os amigos 

linkEscolha um roteiro para descobrir a região  

A cidade é a herança do despertar artístico e cultural do século 15. Foi nessa época que a dinastia de banqueiros Medici assumiu o controle político local. Eles não estavam preocupados apenas com o poder - apesar de terem mandado durante três séculos -, mas em erguer uma cidade para deixar o mundo de queixo caído.

A efervescência cultural e a fortuna de seus patronos colocaram Florença no centro do globo. Gênios da palavra como Dante e Maquiavel marcaram presença. Pintores, escultores e arquitetos também foram correndo para lá. Fácil construir um museu a céu aberto com relíquias de Botticelli, Michelangelo, Leonardo da Vinci e Donatello. Telas, esculturas e afrescos desse período podem ser vistos hoje em museus, igrejas, galerias e praças da cidade. Difícil é saber por onde começar.

TUDO PERTO

Uma dica: o centro histórico reúne as principais atrações, é compacto e convida a um agradável passeio a pé. Reserve pelo menos três dias. A primeira parada é na Duomo de Santa Maria del Fiore, a imponente catedral de mármore, cartão-postal de fazer inveja, como queriam os Medici. Tem a cúpula alaranjada, batistério com portões de bronze e campanário projetado por Giotto, em 1334. Vá ao topo para ver a panorâmica incrível da cidade.

O próximo passo leva à Piazza della Signoria, por muito tempo o coração político de Florença, onde ocorriam as reuniões com os cidadãos. Ao redor, esculturas marcam importantes momentos históricos. Ali, o Davi original, de Michelangelo, ficou exposto até 1873.

Duas atrações reúnem milhares de turistas na praça todos os dias. O Palazzo Vecchio, sede da prefeitura, foi construído em 1322 e conserva a aparência medieval. O interior é decorado com trabalhos de Leonardo da Vinci e de Michelangelo.

Ao lado está a Galleria degli Uffizi, com acervo inigualável. Alguns exemplos raros: O Nascimento de Vênus, de Botticelli, Adoração dos Magos, de Leonardo da Vinci, e Sagrada Família, de Michelangelo. A leste da Piazza della Signoria, a Igreja Santa Croce se destaca pelos afrescos de Giotto e túmulos de celebridades como Maquiavel e Galileu Galilei. Na direção oposta chega-se à Piazza della Repubblica, local do antigo fórum romano, charmosa com seus inúmeros cafés. Hora de relaxar antes de cruzar o Arno.

linkDuomo: 8 euros (R$ 24) até a cúpula. Site: www.duomofirenze.it

Galleria degli Uffizi: 6,50 euros (R$ 20). Site: www.uffizi.firenze.it  

Mais conteúdo sobre:
ViagemItáliaFlorença

Encontrou algum erro? Entre em contato

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.