Gastronomia: onde experimentar comida de rua na Tailândia

Bons lugares para trocar a mesa formar pela tentadora comidinha de rua

Felipe Mortara, O Estado de S. Paulo

02 Fevereiro 2016 | 05h00

CHIANG MAI - Os sabores, aromas e texturas tailandeses já me cercavam há alguns dias quando visitei o Warorot Market, o principal de Chiang Mai. Já havia provado noodle soup, tom yam goong e pad thai. Encantado com a paleta de cores dos temperos locais, fui garimpar alguns para levar para casa. Folhas de limão-kaffir, broto de capim-limão, pimenta branca, pasta de curry verde estavam na lista. 

O que eu não esperava era encontrar lichias imperiais, as maiores e mais saborosas que já comi. Também nao esperava provar larvas de bambu temperadas, que caem muito bem com uma cervejinha. Ou descobrir uma imensa variedade de cogumelos locais, como o het fang e o het hu nu, vendidos frescos ou desidratados. 

Nas barracas de frutas, descobri o durien, uma espécie de jaca absurdamente malcheirosa, a ponto de alguns hotéis proibirem seus hóspedes de trazê-las para dentro. Cremosa e com sabor, digamos, particular – se comer de nariz tampado. Não, não é jaca, também muito abundante no mercado. Pitaia, mangostão e rambutan completaram a lista de favoritos. 

Ainda em Chiang Mai, na Ramkhamhaeng Road, o restaurante Setta Silp serve uma comida sem adaptações – não tem essa de pedir um prato pouco apimentado. A egg noodle com curry custou 100 baht (R$ 11,30) e estava divina, e o satay, espetinho de frango com molho picante de amendoim (115 baht ou R$ 13) completou o menu de ótimo custo-benefício. 

Mas a verdade é que as melhores coisas que comi na Tailândia foram em banquinhas na rua. Não, não passei mal nenhuma vez sequer. A comida de rua tailandesa é diversa como ainda nem sonham em ser os nossos food trucks: frituras diversas, de caranguejinho a cenoura, de bolinho de arroz a trouxinhas de carne. Ah, sobre escorpiões e outros insetos, são mais raros, mais para turista ver, na Khao San Road, em Bangcoc. 

E tem ainda os frutos do mar. Camarões, mariscos e peixes que pareciam recém saídos do mar, fosse em Phuket ou em Chiang Mai. Lula na chapa, lembre-se disso. Chang, Leo e Singha (dizem “Sing”) são as boas marcas de cerveja local. Podem ser servidas com gelo no copo – para equilibrar a graduação alcoólica – e canudinho. Esse não tem explicação. 

Mais conteúdo sobre:
Tailândia Ásia

Encontrou algum erro? Entre em contato

publicidade

publicidade

publicidade

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.