Gigante canadense 'estaciona' no topo do ranking

Whistler Blackcomb, a 120 quilômetros de Vancouver, lidera há seis anos a lista das revistas especializadas

O Estado de S.Paulo

28 Outubro 2008 | 02h34

A cidadezinha de 10 mil habitantes soube aproveitar seu potencial geográfico: está entre duas montanhas gigantescas, que ficam completamente cobertas de neve no inverno. Essa perfeita combinação fez de Whistler Blackcomb, a 120 quilômetros de Vancouver, a maior estação de esqui do Canadá - e a melhor da América do Norte, eleita seis vezes consecutivas por publicações especializadas. Mas não é só a neve fofinha que dá fama a Whistler. A estação é considerada uma das mais animadas do continente, com muitas opções de après-ski. "Basta perguntar para algum jovem que já foi", diz o presidente da Confederação Brasileira de Desportos na Neve (CBDN), Stefano Arnhold. "Whistler é para quem quer agito", concorda o diretor da operadora Maktour, Marcus Di Tommaso. "Além das ótimas pistas de esqui, a cidade tem restaurantes, bares e boates." Uma infra-estrutura que não pára de crescer. Desde 2005, Whistler vem ganhando mais e modernas instalações, resultado dos investimentos para os Jogos Olímpicos de Inverno de 2010. A estação, assim como Vancouver, será sede do torneio - as montanhas Whistler e Blackcomb receberão todas as disputas paraolímpicas e provas olímpicas de esqui e de esportes nórdicos. Apesar de pequena, a vila conta com mais de cem hotéis, dos mais luxuosos a pousadas para famílias, e cerca de 17 restaurantes. Sem falar em lojas, butiques e discotecas. "Whistler, sem dúvida, tem a melhor estrutura turística", afirma o snowboarder Felipe Motta. O après-ski, aliás, é uma atividade "not-to-be-missed". Duas dicas: o Garibaldi Lift Company, na base da Whistler Village Gondola, fica aberto até 1 hora e é um dos mais agitados. Assim como o Merlin?s Bar and Grill, nos pés de Blackcomb, em Upper Village. PARA EXPERTS A grande - e mais esperada - novidade da temporada é a Gôndola Peak 2 Peak, que levará turistas do topo de Whistler ao topo de Blackcomb e vice-versa. A atração será inaugurada em dezembro e permitirá que os esquiadores percorram 4,4 quilômetros em 11 minutos. Muitos apostam que esse teleférico será o novo ícone do turismo canadense. Não é para menos. Com acesso entre uma montanha e outra, os esquiadores poderão experimentar diferentes pistas num mesmo dia. A vantagem foi ressaltada por dois experts no assunto. "Whistler Blackcomb tem muitas pistas avançadas e pode satisfazer a todos os gostos", afirma Felipe Motta. "O terreno é grande e com muita inclinação, um paraíso em dias de powder (neve fina como pó)", explica Isabel Clark. De fato, Whistler Blackcomb é uma meca para esquiadores e snowboarders experientes. Juntas, as montanhas têm 200 pistas em 3 mil hectares esquiáveis. A 2.182 metros de altitude, a Whistler Mountain tem 80% de trilhas de níveis médio e difícil. Já a Blackcomb Mountain é mais alta (2.284 metros) e reserva 30% de suas pistas para uso exclusivo de profissionais. Whistler: www.whistlerblackcomb.com

Mais conteúdo sobre:
Vancouver

Encontrou algum erro? Entre em contato

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.