Gramado: 5 dicas para o Natal Luz

Envie sua pergunta para viagem.estado@estadao.com

Ricardo Freire, O Estado de S.Paulo

08 Dezembro 2015 | 03h00

O Natal Luz de Gramado consegue ser mais longo que o carnaval de Salvador: começou dia 30 de outubro e vai até 17 de janeiro. Entregue-se ao espírito natalino e você será nocauteado por uma overdose de fofura. Acabo de voltar (encantado) de lá e deixo algumas dicas. Para informações extras, confira também a reportagem publicada neste caderno na edição passada: bit.ly/gramado-luz.

1. Não dependa de táxi na ExpoGramado. Local do (excelente) show Natal Pelo Mundo e do (profissional) Grande Desfile de Natal, a ExpoGramado fica a pelo menos meia hora de caminhada do centrinho da cidade. Na saída, os táxis não dão conta da demanda, e não há transporte público (é a única grande falha do festival). Agências de turismo locais vendem ingresso com transporte, mas o sobrepreço é tão alto que, para uma família, vale muito mais a pena alugar um carro. Há estacionamento no local.

2. Curta os espetáculos grátis do centro. De quinta a domingo, uma pequena Parada de Natal ocorre às 16 horas; às 19h30, há uma atração musical na Rua Coberta. Mas o grande momento da noite é às 20h30, no show de Acendimento da Cidade, um esquete divertido. Esteja com as crianças em frente ao Palácio dos Festivais às 20 horas para pegar um lugar central.

3. Vá ao Snowland no começo da semana. A estação de esqui coberta de Gramado fica tranquila entre segunda e quarta-feira. Nesses dias, é bastante provável que você não enfrente fila e tenha permanência livre na área nevada (nos dias em que está lotado, o Snowland restringe a permanência na neve a duas horas).

4. Prepare o bolso. A estrada entre Gramado e Canela é o destino brasileiro com o maior número de atrações para a família. Quer saber as minhas favoritas em Canela? O Mundo a Vapor (mundoavapor.com.br) é um fabuloso museu de ciências, com miniaturas de todo tipo de máquina movida a vapor (de locomotiva a fábrica de papel), com monitores a postos para explicar. O Museu da Moda (museudamodadecanela.com.br) conta a evolução da moda feminina do antigo Egito a Lady Di, com figurinos reconstituídos com os tecidos adequados. E os Bondinhos Aéreos (parquesdaserra.com.br) são teleféricos que levam ao melhor mirante para a Cascata do Caracol.

5. Jantar sem rodízio nem fondue. Para variar da culinária substanciosa da Serra, vá ao novíssimo Âme, no hotel-butique Modevie. O menu do chef Vinicius Costa é o mais inventivo da cidade: vieiras com picles de limão, atum com compressa de melancia e gengibre e o magret de pato ao coulis de bergamota e butiá (54-3295-1075).

 

Mais conteúdo sobre:
Natal Rio Grande do Sul

Encontrou algum erro? Entre em contato

publicidade

publicidade

publicidade

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.