Gramado mistura frio, diversão e gastronomia

Parques e museus garantem entretenimento na cidade gaúcha, que tem novos restaurantes

Marlos Momm e Thiago Momm / ESPECIAIS PARA O ESTADO, O Estado de S.Paulo

16 Junho 2016 | 05h00

Em tempos de crise e com o euro superando os R$ 4, a região de Gramado e Canela é uma ótima alternativa de ares europeus para o turista, principalmente se a expectativa estiver relacionada a gastronomia, arquitetura, paisagem, frio e geadas. Gramado é hoje um dos principais destinos turísticos do País. São pouco mais de 30 mil habitantes e até 6 milhões de visitantes por ano. A arquitetura abusa da madeira e dos telhados enxaimel. Está nos edifícios residenciais, restaurantes, hotéis e nas muitas casas dos condomínios no entorno da cidade. Contemplar a cidade gaúcha é uma atração por si só.

Inaugurado há um ano, o Laghetto Stilo (laghettocentro. com.br) talvez seja a opção mais descolada da cidade. Construído no conceito de hotel-boutique, está localizado perto da Rua Coberta, tem restaurante envidraçado, room service 24h e quartos de design contemporâneo.

Toda essa estrutura vem sendo acompanhada por outros empreendimentos de grande escala, como o Snowland (snowland.com.br), que abriu em 2013 e já recebeu 700 mil turistas desde então. O parque, um enorme galpão de 15 mil m2 refrigerado por temperaturas negativas, permite a prática do esqui e do snowboard, além de oferecer rinque de patinação, snow mobile, tubing, restaurante panorâmico, lojas e cabana de chocolate quente.

De 8 de julho até agosto, a cidade recebe a 10.ª edição do Estação Gramado (clicrbs. com.br/estacaogramado), com shows, oficinas, teatro e outras atividades, como passeio em ônibus turístico dois andares. O evento tem um ponto de encontro na Avenida Borges de Medeiros.

Também dignos de visita, em estadas mais longas, são os diversos museus ao longo da rodovia que liga Gramado a Canela: Aldeia do Papai Noel, Dreamland (de cera), Reino do Chocolate, Mundo Encantado, Hollywood Dream Cars, Mundo a Vapor, Harley-Davidson e o novo Algum Lugar, com réplicas de grandes monumentos mundiais, embaixo do mais conhecido Super Carros. Para quem for ao clássico Minimundo, uma novidade é o espaço kids, que permite aos pais pausar a visita, e não apenas circular e ir embora.

Outro programa é o Gramado Zoo (gramadozoo.com.br), que por ser localizado na serra tem um percurso em meio à mata, algo nem sempre comum em zoológicos.

Novidades à mesa. Restaurantes vêm surgindo, geralmente dentro do circuito fondue, galeto, café colonial e massas. O Largo da Borges tem o agradável Mamma Pasta, com opções sem glúten. Dos mesmos donos (e da rede de chocolates Caracol), o El Fuego (elfuego.com.br) oferece um dos melhores fondues locais.

O novo Origem do Cacau (origemdocacau.com.br), em Canela, também tem alternativa para celíacos e é comandado pelo chocolatier porto-alegrense Andrei Martinez, que tem mestrado em chocolate e traz o cacau das melhores partes do mundo para criar suas iguarias.

Já a Avenida Borges de Medeiros convida a ver butiques de marcas locais e nacionais, com destaque para a loja conceito Jorge Bischoff (jorgebischoff.com.br). Lojas das fábricas de chocolate da região também pontuam a área. A Chocolates Lugano produz, além do doce, a cerveja artesanal Rasen Bier (rasenbier.com.br). Não deixe de provar a Amber Ale.

Bem próxima dali, a famosa Rua Coberta vem recebendo novas atrações, como shows de dança e musicais, além de agora contar com três brinquedos de parque de diversões na lateral.

 

Dica de economia

Para o almoço, uma opção é o bufê Degustare (degustaregramado.com.br), no Centro de Gramado, com quase 30 opções de pratos da serra a R$ 54,90 o quilo. A Rua São Pedro, atrás da Avenida Borges de Medeiros, tem outras opções de bufê, bem-vindas na comparação com restaurantes de fondues, que raramente custam menos de R$ 80 por pessoa. Para saber o preço de programas e obter bons descontos em alguns, vá à seção de atividades do Gramado Site (gramadosite.com.br)</CL>. Há casos como o passaporte para o Hollywood Dream Cars, o Dreamland, o Harley Motor Show, o Super Carros e o Parque Vale dos Dinossauros, que separados custariam R$ 200, mas ficam por R$ 120.

Mais conteúdo sobre:
Viagem Férias Inverno

Encontrou algum erro? Entre em contato

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.