Reprodução Facebook
Reprodução Facebook

Homem cede lugar na executiva para senhora de 88 anos e história viraliza

Em voo de Nova York para Londres, passageiro ofereceu seu lugar para idosa que estava na econômica. História viralizou após comissária publicar foto e relato em rede social

​Drew Jones, Washington Post

24 de dezembro de 2019 | 09h00

Violet Allison estava se acomodando em seu assento econômico em um voo noturno da Virgin Atlantic de Nova York para Londres quando outro passageiro se aproximou e fez uma pergunta que ela nunca pensou que ouviria. “Com licença, você gostaria de voar de primeira classe?” disse Jack Littlejohn, a que a idosa de 88 anos respondeu incrédula: “Você está brincando”.

A inesperada viagem da senhora foi contada em um post da comissária de bordo Leah Amy, que virou viral no Facebook. “Das centenas de voos que operei, tive o prazer de cuidar de jogadores de futebol, supermodelos e algumas estrelas de cinema de Hollywood, mas me deixe falar sobre esses dois que serão PARA SEMPRE meus dois passageiros favoritos!”, escreveu a comissária.

No relato de Violet sobre o voo, depois que Littlejohn ofereceu a troca, ele continuou: “Sim, eu lhe dou meu assento e você pode voar de primeira classe" e ter todas as comodidades, incluindo jantar, bebidas e uma cama reclinável. “Você acredita nisso?”, disse a senhora à passageira que estava sentada ao lado dela. “Você acha que eu deveria fazer isso?”, perguntou, e a mulher falou para ela ir em frente.

Ele a ajudou a pegar as malas e seguiu até a cabine de primeira classe da aeronave, de dois andares, onde Littlejohn a levou para seu assento para o voo de sete horas. "Então ele se sentou na fila de assentos diretamente ao lado dos banheiros econômicos e sequer deu uma espiada ou pediu qualquer coisa pelo restante do voo”, escreveu Amy. “Sem confusão, sem atenção, literalmente fez isso pela bondade de seu próprio coração.” Milhares de mensagens e emojis de coração foram publicados para dar apoio ao par pela bondade e generosidade que revelaram.

Desigualdade

Littlejohn tinha estado em Nova York com a mãe e a irmã em um evento de caridade que seu irmão organizou em Times Square, chamado de A Maior Noite Fora de Casa do Mundo, pedindo o fim da condição de sem-teto no planeta. Foi quando Littlejohn e sua família estavam voltando para casa na Escócia que sua mãe surpreendeu os irmãos com reservas na classe executiva.

Ele disse que, embora a surpresa tenha sido boa, não lhe caiu bem por causa da desigualdade entre classe executiva e classe econômica. No avião, os passageiros da classe econômica tiveram de percorrer toda a classe executiva para conseguir se sentar na parte inferior do avião, uma comparação que Littlejohn chamou de “insalubre”.

Depois de contar à mãe suas intenções de ceder seu assento, Littlejohn procurou um passageiro que o merecesse. Quando viu Allison, ele soube instantaneamente. “Não poderia ter encontrado uma senhora mais doce”, disse ele sobre a mulher de 88 anos. Littlejohn, então, se sentou no braço do assento dela e perguntou: “Com licença, você está viajando sozinha? Tenho um assento na classe executiva e gostaria de cedê-lo a você”.

Amy capturou o momento para que o mundo o visse em fotos. “Violet tem 88 anos, foi enfermeira tanto no Reino Unido quanto nos Estados Unidos. Ela viaja para Nova York para ver sua filha, mas não conseguia ir havia um tempo por causa de uma cirurgia de joelho. Seu sonho sempre foi se sentar na frente do avião, e Jack tornou isso realidade.”

Violet diz que foi muito bem cuidada à noite. Conta que a tripulação foi acolhedora e acenou para ela durante o tempo todo do voo. Antes da aterrissagem, Littlejohn subiu para verificar se estava Violet estava bem; foi quando Amy perguntou se poderia tirar uma foto dos dois. Quando o avião pousou, Amy reuniu o grupo para tirar uma foto de todos eles. Depois de conversar, todos se despediram e seguiram seu caminho.

A Virgin considerou o episódio “uma história adorável”. Littlejohn diz que gostaria de ver a companhia aérea ir mais longe, oferecendo assentos a Violet em classe executiva vitalícia para viajar para Nova York. “Você deveria ter visto o rosto dela quando eu a ajeitei em sua cama depois do jantar”, escreveu Amy. / TRADUÇÃO DE CLAUDIA BOZZO

Tudo o que sabemos sobre:
turismoterceira idade

Encontrou algum erro? Entre em contato

Comentários

Os comentários são exclusivos para assinantes do Estadão.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.