A fuga de Hosmany Ramos

O médico brasileiro, acusado por roubo, sequestro e homicídio, deixou a América do Sul por um roteiro interessantíssimo aos viajantes

Bruna Tiussu, O Estado de S.Paulo

25 Agosto 2009 | 02h14

É incrível, mas a fuga de Hosmany Ramos contém algumas dicas quentíssimas para viajantes.

Segundo apurou a repórter Mônica Aquino, Hosmany deixou a América do Sul por um ponto interessantíssimo: Caiena, na Guiana Francesa, ligada a Belém por dois voos semanais da Air Caraïbes (e com continuação a Martinica, Guadalupe e Paris). Antes de embarcar, Hosmany fez uma espécie de "turismo de nicho", visitando a Ilha do Diabo, onde ficava a célebre prisão de segurança máxima descrita em "Papillon".

Na Europa, o cirurgião foragido comprou um passe de ônibus da Eurolines (eurolines-pass.com), que é o jeito mais barato de zanzar pelo Velho Mundo: 205 por 15 dias ou 310 por um mês corrido. Até mesmo o lugar onde foi apanhado, a Islândia, inspira os turistas mais intrépidos. Caso você queira dicas da terra de Björk em português, entre no blog Mirella Matthiesen, o Mikix: mikix.com/?cat=70.

Mais conteúdo sobre:
Guiana Francesa

Encontrou algum erro? Entre em contato

publicidade

publicidade

publicidade

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.