Marina Azaredo
Marina Azaredo

Ícones de cara nova

Programas e atrações tradicionais de Campos também foram renovados

Marina Azaredo, Especial para o Estado

02 de julho de 2019 | 03h00

Campos do Jordão não para. Mesmo atrações consagradas têm sido reformuladas para atrair um turista mais exigente. E nem o tradicional Festival de Inverno de Campos do Jordão escapou dessa tendência. Em sua 50ª edição, o evento em 2019 mantém a música clássica como carro-chefe, mas traz outras influências. 

LEIA TAMBÉM: Guia para curtir a temporada de inverno em Campos do Jordão

Festival de Inverno

Entre os 150 espetáculos agendados para o festival, que começou em 29 de junho e segue até dia 28, há nomes da música popular, como Mônica Salmaso, Carlinhos Brown, Fafá de Belém e Diogo Nogueira. Para não perder a essência do evento, todos os artistas serão acompanhados pela Orquestra Jazz Sinfônica. Há apresentações pagas (a partir de R$ 50) e gratuitas.

Ao ar livre

Na programação diurna, o Parque Capivari deve entregar novidades em breve. A Eco Parques do Brasil, empresa que administra o Parque Nacional do Iguaçu, ganhou a concessão do parque de Campos do Jordão, famoso pelo teleférico do Morro do Elefante, uma das atrações mais antigas da cidade. Além de reformulação do teleférico (R$ 16, ida e volta) e do pedalinho (R$ 15 por 10 minutos), a empresa promete inaugurar uma pista de patinação no gelo com 200 metros quadrados e uma “game zone” com jogos de realidade virtual.

Para atrair famílias, o Parque Tarundu, um complexo recreativo ao ar livre, também investe em novidades. Entre as mais de 30 atividades disponíveis, há um circuito de tirolesas com 800 metros de extensão e 60 metros de altura, passeios a cavalo, patinação no gelo, paintball, arco e flecha e boia cross. A boa nova mais recente é o Tubo Insano, um escorregador cheio de curvas no escuro e em forma de tubo. 

É possível optar por pagar as atrações separadamente (a partir de R$ 20) ou adquirir um passaporte para múltiplas atividades (a partir de R$ 125).  Dependendo das condições climáticas, ainda é possível fazer um voo de balão – há a opção de voo cativo (R$ 90) e voo livre (R$ 750). O parque também conta com um bom restaurante, o Tainakan.

Mais frequentada pelos locais do que pelos turistas, a Festa das Cerejeiras em Flor (ingresso R$ 20) chega à sua 51ª edição a partir de 20 de julho no Parque da Cerejeira. Há apresentações de música e dança e comidas típicas japonesas – boa pedida para dar uma pausa no cardápio clássico invernal.

Consumo consciente

Fora do circuito tradicional, mas perfeito para fugir das lembrancinhas de praxe, o Mãostiqueiras, na região do Gavião Gonzaga, é o endereço certo. O projeto reaproveita a lã da tosquia das ovelhas de propriedades da região que seria jogada fora. Dezenas de mulheres da comunidade produzem artesanalmente peças quentinhas e aconchegantes como mantas, almofadas e golas. 

Encontrou algum erro? Entre em contato

Comentários

Os comentários são exclusivos para assinantes do Estadão.

Tendências:

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.