Igrejas e ruínas dão fama a Braga

Da mistura nasceu o apelido, Roma da Península Ibérica; um dia na cidade deve contemplar as duas facetas

, O Estado de S.Paulo

24 Junho 2008 | 03h04

Braga é conhecida pelo Santuário de Bom Jesus do Monte, para onde acorrem devotos do mundo inteiro, especialmente durante a Semana Santa. Mas a cidade tem um histórico de ocupação visível de mais de 2 mil anos; a região já era habitada quando os romanos ali chegaram, em 250 a.C. - eles permaneceram até o século 5º.Para os romanos, Braga era Bracara Augusta - escavações sugerem que se tratava de uma grande e importante cidade daquele império na Península Ibérica. Por isso - e por causa da concentração de arquitetura religiosa, com 16 igrejas, 6 conventos e mosteiros, 5 capelas e muitos outros monumentos -, leva o apelido de Roma portuguesa.O centro histórico conta com construções e ruínas exemplares de várias épocas, concentradas numa pequena área, que deve ser percorrida a pé.Um dos possíveis pontos de partida é o Arco da Porta Nova. O original foi erguido em 1512 e durante muito tempo serviu como a principal entrada da cidade. A construção atual, porém, é de 1772 e tem estilo barroco.Perto dali está a Sé, a mais imponente das muitas igrejas de Braga, considerada a catedral mais antiga do país - o templo foi erguido numa área onde teriam existido edifícios de culto romano, que, nos séculos 4º e 5º, deram lugar a uma primeira construção cristã.O prédio exibe vários estilos, do românico ao barroco, em decorrência de diversas reformas ao longo do tempo. Na igreja podem ser visitados os túmulos de d. Henrique de Borgonha e de dona Teresa, condes do Condado Portucalense e pais de d. Afonso Henriques (d. Afonso I). Faz parte da Catedral o Museu da Sé, composto de peças sacras dos séculos 16 a 18, como a pequena cruz de metal utilizada na primeira missa no Brasil.Próximo da Sé está um outro destaque do barroco local, o Paço Episcopal, constituído por um conjunto de edifícios dos séculos 14, 17 e 18 que serviram de residência a arcebispos. A ala medieval do Paço dá acesso ao Jardim de Santa Bárbara.SINGELOS (E CAROS)Dali, pela Rua do Souto, chega-se à Praça da República. Na pequena feira de artesanato, o charme são os ''lenços dos namorados'' - bordados coloridos, de versos simples e românticos, em tecido branco. Pela tradição, as moças da área rural, de pouca instrução, bordavam lenços à noite, à luz de velas, para oferecer aos namorados. Eram versos como:''Quem me dera ser camisa/Quem me dera ser butão/Para andar sempre contigo/Junto do seu curação''.Assim mesmo, com erros de grafia, de acordo com o som das palavras. Hoje, vários artesãos reproduzem esses lenços. A unidade quadrada, de cerca de 30 centímetros, custa 68 (R$ 170). Ceramistas repetem a tradição pintando os versos em xícaras (cerca de 15 ou R$ 37,50) e em ímãs para geladeira ( 3 ou R$ 7,50).ESCADARIAMas é o santuário de Bom Jesus do Monte o grande chamariz de Braga. A igreja fica em um parque com mata, jardins, lagos artificiais, campo de tênis, praças e hotel. O local passou a ser ponto de peregrinação em 1629, com a construção de uma capela. A igreja atual, barroca, foi concluída em 1725.O santuário está a 400 metros de altura. Para chegar ao alto, há três opções: por estrada, por escadaria e por elevador (funicular). A escadaria, o meio mais difícil, mas que garante as melhores fotos, tem início no Jardim do Bom Jesus e está dividida em três partes: Escadaria do Pórtico (trecho inicial, concluído em 1723); dos Cinco Sentidos e a Escadaria das Três Virtudes (de 1837, com três fontes, dedicadas à fé, à esperança e à caridade).O elevador de Bom Jesus é um funicular sobre rampa e foi inaugurado em 1882. Uma curiosidade: é o mais antigo do mundo a utilizar o sistema de contrapeso de água para locomoção. O tempo de viagem é curto, cerca de 3 minutos, e o percurso, de 274 metros. Bom para não se cansar. R.D.Museu da Sé: Rua d. Paio Mendes; ingressos a 2 (R$ 5)Paço Episcopal e Jardim de Santa Bárbara: Largo do Paço; grátisSantuário de Bom Jesus: Jardim de Bom Jesus do Monte; grátis. O funicular custa 1 (R$ 2,50) e o transporte funciona das 8 às 20 horasInformações: diferentes roteiros estão no www.cm-braga.pt

Mais conteúdo sobre:
BRAGAPORTUGSL

Encontrou algum erro? Entre em contato

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.