Impacto reduzido no Paraná

Tibagi, que tem o cânion do Guartelá como principal atração, reutiliza 84% de todo o lixo produzido

O Estado de S.Paulo

01 Junho 2010 | 01h50

Premiada. Parque Estadual do Guartelá é a atração mais conhecida de Tibagi, no Paraná.

 

TIBAGI - O cheiro de mato ainda molhado pelo orvalho invade os pulmões. Enquanto isso, os olhos parecem piscar mais rápido para absorver tudo o que a natureza exibe naquele trecho do Paraná. Assim que chega ao mirante do Parque Estadual do Guartelá, o visitante vive um sem-número de sensações, despertadas pelo cânion do Rio Iapó.

Trata-se da principal atração da pequena Tibagi, cidade de origem tropeira a 207 quilômetros de Curitiba. E não decepciona: o parque tem boa infraestrutura, com trilhas bem sinalizadas, podendo ser explorado sem guias. Feito de madeira, o caminho até o mirante tornou-se acessível também para cadeirantes.

Uma das brincadeiras mais divertidas é entrar nos Panelões do Sumidouro. Os buracos no leito do Iapó feitos pelo movimento da água no rio sobre a rocha se transformam numa divertida - e gelada - banheira de hidromassagem. Para ir mais longe, só com guia. Assim, dá para chegar à área conhecida como mini Vila Velha, com rochas esculpidas pelo vento, e observar pinturas rupestres de até 3 mil anos.

 

Veja também:

Herança natural

Turismo e ecologia de braços dados em Fernando de Noronha

Iguaçu, patrimônio com melodia própria

Jurerê conquista selo ambiental e vira exemplo na América Latina

Reciclagem. Graças a seu projeto de reciclagem, Tibagi acaba de ser premiada pelo Ministério do Turismo no Programa de Regionalização de Turismo (veja outros contemplados no fim do texto).

Pelo Recicla Tibagi, só 16% do lixo produzido segue ao aterro sanitário - o restante é reaproveitado por cooperativas. Assim, resíduos produzidos por moradores e turistas têm o impacto minimizado no meio ambiente.

Ainda assim, o Rio Tibagi sofre com o lixo trazido de grandes cidades, como Ponta Grossa, durante as cheias. "A água não é poluída, mas o rio poderia estar mais bonito", diz Alain Jourdant, da empresa Águas Vivas, que opera o rafting no Tibagi. O percurso, de uma hora e meia, tem corredeiras leves - exceto por uma queda-d"água no fim do trajeto. Emoção garantida.

 

 

BOAS PRÁTICAS

O Programa de Regionalização do Ministério do Turismo premiou com o troféu Roteiros do Brasil alguns destinos. Confira:

 

Minas Gerais

O Estado venceu com quatro projetos: Monte Verde, Ouro Preto, Serra do Cipó e Diamantina. As respectivas categorias: melhor gestão, sustentabilidade social, planejamento e sustentabilidade cultural

 

Santa Catarina e Paraná

Empataram em 1º lugar em sustentabilidade ambiental em municípios. Santa Catarina pela implementação do Parque Estadual Fritz Plaumann e o Paraná, por Tibagi

Encontrou algum erro? Entre em contato

publicidade

publicidade

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.