Informação específica e acesso a espaços vips

.

Mônica Nóbrega, O Estado de S.Paulo

22 Setembro 2009 | 05h18

Pessoas com muitas viagens no currículo são os principais clientes de tours com especialistas. "A informação que esse tipo de turista quer é mais aprofundada do que os guias comuns podem dar", diz Emílio Moufarrige.

 

Veja também:

linkPara desvendar o planeta em seus mínimos detalhes

Caso do estudante de engenharia Ricardo Cutolo, de 24 anos. Habituado a colocar a mochila nas costas e sair pelo mundo, embarcou para Tailândia, Laos, Vietnã e Camboja guiado por Lúcia Brandão, cujo métier inclui filosofias asiáticas. "Mais que achar bonito, você entende o que está por trás do que vê", define. "Europa você aprende na escola. Já na Ásia, sem a orientação, não há como identificar lugares."

A aposentada Vany Carnaval, de 68 anos, dá outro exemplo. Ela viveu um dos grandes momentos de sua segunda ida ao Marrocos no casebre de barro de uma camponesa. "Fomos convidados a tomar café. Ela mostrou, com alegria, sua casa e o único ponto de luz", conta.

Outro perfil recorrente é o do aficionado. Frequentador do torneio Brasil Open de tênis, em Salvador, o empresário Adeílton Brandão acaba de voltar do US Open, em Nova York. Viajou com a Faberg, agência do ex-tenista profissional Fábio Silberberg, que acompanha pessoalmente seus grupos. Conseguir ingressos, mostrar as quadras e indicar os melhores confrontos do dia estão entre as atribuições do ex-atleta. Ele ainda organiza um torneio ou clínica do esporte para o grupo. Ou seja, os fãs podem jogar.

Interagir é a expectativa também dos viajantes que buscam o pacote da Butterfield&Robinson para as Ilhas Galápagos, guiado por naturalistas. Ou o roteiro da Ambiental rumo ao acampamento-base do Everest, conduzido pelo médico aventureiro Manoel Morgado.

linkFaberg: www.fabergsports.com.br

linkButterfield&Robinson: www.butterfield.com.br

linkAmbiental: www.ambiental.tur.br

Mais conteúdo sobre:
Viagem & Aventura

Encontrou algum erro? Entre em contato

publicidade

publicidade

publicidade

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.