Turismo de Frankfurt
Turismo de Frankfurt

Innerstadt e Altstadt

Na região central da cidade, um agradável calçadão, ópera e muita história

Maria Fernanda Rodrigues, O Estado de S.Paulo

03 Maio 2016 | 02h57

Na região entre a Alte Oper (a ópera antiga) e a estação Kontablerwache, o Zeil é um aprazível calçadão, perfeito para quem quer bater perna e fazer umas comprinhas (embora o euro não ande lá muito amigável). É ali que ficam as lojas de departamento Galeria Kaufhof e Kartstadt, que vendem de livros a comida – não esqueça de reservar um tempinho para a seção de chocolates (especialmente se você gosta de marzipã). Para mais compras ou apenas um café num lugar charmoso, faça uma caminhada pela Goethe Strasse, que começa na Goetheplatz. Só fique atento aos horários: as lojas raramente abrem aos domingos e costumam fechar às 17 horas. 

Casa de Goethe 

Já que estamos na cidade natal de um dos principais escritores e pensadores dos séculos 18 e 19, a visita à casa onde Johann Wolfgang von Goethe (1749-1831) nasceu é obrigatória. Foi ali, na Grosser Hirschgraben, 23-25 (e não na Goethe Strasse, como se poderia pensar), que sua família viveu até 1795. Na visita (5 euros), é possível ver o famoso teatro de marionetes que encantava o jovem Goethe, o quarto onde o poeta supostamente nasceu e os demais cômodos. A casa foi totalmente reconstruída após a 2ª Guerra Mundial.

Römer 

Quem procura a Alemanha dos quebra-cabeças vai encontrá-la na Römerberg, uma praça no coração de Frankfurt que abriga o Römer, prédio medieval onde está, há mais de 600 anos, a prefeitura da cidade. E vai encontrar, também, visitantes de várias partes do mundo, restaurantes caça-turista e lojinhas de souvenir. 

Schirn 

Um dos espaços expositivos mais importantes de Frankfurt, o Schirn, também na Römerberg, tem 2 mil metros quadrados e foi inaugurado em 1986. A instituição tem sua programação voltada para mostras de arte moderna e contemporânea. Até 12 de junho, está em cartaz uma exposição com trabalhos do espanhol Joan Miró (12 euros).

Catedral (Dom) 

Com 95 metros de altura, a torre da Catedral de São Bartolomeu pode ser vista de várias partes da cidade. Desde sua primeira construção, em 1239, ela sofreu diversas modificações – a versão atual, em estilo neogótico, data do fim do século 19. Ela ainda foi reconstruída depois da 2ª Guerra e, nos anos 1990, passou por uma restauração. Apesar do nome, o local nunca foi de fato uma catedral e serviu como palco para coroar a realeza. É a maior construção religiosa da cidade.

Onde comer 

O Leib & Seele (Kornmarkt, 11) é perfeito para quem quer fugir dos locais mais turísticos e, ainda assim, comer iguarias típicas da Alemanha – ou até uma versão “importada”, que acabou sendo incorporada à culinária local. É o caso do schnitzel vienense, bife de carne de porco à milanesa e batata (10,90 euros) – há variações, com opções de molho (o de cogumelo é clássico). Um prato com salsichas, batata e chucrute para duas pessoas (ou três, quatro) custa 23,90 euros. 

Outra comida típica é o grüne sosse, molho a base de sete ervas frescas servido com batata e ovo cozido. Sai por 9,20 euros e é uma das opções vegetarianas do cardápio. Para os bravos, a dica é a junta de porco grelhada, com casquinha crocante, que acompanha pão, mostarda, chucrute e batata. É um prato individual, que custa 10,90 euros, mas pode ser perfeitamente compartilhado. Para acompanhar, cervejas a partir de 3,10 euros.

Mas se quiser apenas dar uma paradinha para tomar um café e, talvez, adoçar o paladar, experimente o Kaffee Wackers (Kornmarkt, 9), em funcionamento desde 1914. É tido como o melhor expresso de Frankfurt – após o almoço, a fila toma conta da calçada. Fecha aos domingos. 

Mais conteúdo sobre:
Alemanha

Encontrou algum erro? Entre em contato

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.