Felipe Mortara/AE
Felipe Mortara/AE

Intrigante escultura natural com vida própria

Em uma região com centenas de cachoeiras, encontrar uma que se sobressaia a ponto de merecer um texto exclusivo - e foto do tamanho da que você vê abaixo - é algo digno de nota. Ou melhor, desta coluna inteira.

O Estado de S.Paulo

15 Maio 2012 | 03h10

A imagem até que se esforça para representar a Cachoeira do Buracão, mas esta gigante de 85 metros de altura é quase como um desfile de escola de samba. Você pode passar a vida assistindo pela televisão ou contemplando fotografias em jornais e revistas que não entenderá do que se trata de fato. É sentir para crer.

Localizada dentro do Parque Municipal do Espalhado, em Ibicoara, percorre-se cerca de 20 quilômetros de carro em estrada de terra até a entrada da trilha. Apesar de ser de nível leve e relativamente bem demarcada, só é permitido entrar acompanhado por um guia da cidade. Segue-se o curso do Rio Riachão das Pedras, formado pelos afluentes Mucugezinho, Julião e Jiboia. São 3 quilômetros de caminhada em meio a uma vegetação mista de cerrado e caatinga, com muitos xique-xiques e bromélias. Pelo caminho vão ficando o Poço Manso, e logo adiante, o simpático Recanto Verde. Com tempo, dê um mergulho.

Um trecho úmido surge de repente e uma descida íngreme se abre no meio de árvores frondosas. Mais um pouco e se atinge o Poço da Gameleira, onde começa um cânion com cerca de 4 metros de largura. Ali o visitante recebe colete salva-vidas e vai nadando suavemente rio acima sem saber o que encontrará.

Os gritos são agudos e de uma espontaneidade memorável. Um coliseu de mais de 60 metros de largura formado por pedras cuidadosamente encaixadas pela natureza. No canto, tímidas em volume, mas barulhentas, as águas da Cachoeira do Buracão. Cabeças se viram para todos os lados sem saber direito se aquilo é real. Me belisca? / F.M.

Encontrou algum erro? Entre em contato

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.