Istambul de A a Z, um guia do que você não pode deixar de ver

Desvendamos a cidade que já foi a poderosa Constantinopla e montamos um roteiro com as melhores atrações

Camila Anauate, de O Estado de S.Paulo,

24 Novembro 2009 | 02h55

Atatürk

Mustafa Kemal Paça (1881-1938) é a figura mais ilustre por lá. Quer uma prova? Ele recebeu o apelido Atatürk, ou "pai dos turcos", e a data de sua morte (10 de novembro) virou feriado nacional. Outra? Mustafa acabou com o sultanato, instaurou a república e comandou grandes reformas. Ah... foi ele quem transferiu a capital política do país de Istambul para Ancara.

 

Veja também:

link  Requinte como no tempo de ouro do Expresso do Oriente

Bósforo

Nada mais poético que conhecer Istambul pelo Bósforo. Do barco, a primeira imagem é uma silhueta recortada por minaretes. Depois, vêm os detalhes. Mesquitas, palácios, fortalezas. E nesse ziguezague pelo Estreito se chega à parada final, Anadolu Kavagi, vila onde estão as ruínas de um castelo genovês. De lá dá para ver o Bósforo se perder no Mar Negro. Fuja dos tours turísticos e tome os barcos da empresa oficial IDO.

Cartão-postal

Seis minaretes espetam o céu. E fazem da Mesquita Imperial de Sultanahmet a mais elegante - e visitada - da cidade. Para entrar, tire os sapatos (mulheres devem cobrir a cabeça). A fila é grande, mas rápida. Lá dentro, tapete vermelho, vitrais e teto abobadado. Além dos azulejos que a tornaram conhecida como Mesquita Azul.

Day trip

Acelere rumo a Canakkale (são quatro horas de estrada). A cidade às margens do Estreito de Dardanelos, que liga o Mar de Mármara ao Mar Egeu, é a base ideal para explorar sítios arqueológicos como o de Pergamun. Ali estão as ruínas de uma cidade grega.

Especiarias

Deixe-se levar pelo cheiro. Depois por cores e sabores. Quando reparar nos preços, então, enlouquecerá de vez. Pelos corredores barulhentos do mercado de especiarias, na região portuária, você vai ver, sentir e provar um sem-fim de temperos e ervas. Como se não bastasse, será "obrigado" a aceitar doces servidos pelos vendedores.

Futebol

O esporte é uma das paixões nacionais. No Fenerbahçe e no Galatasaray brilham brasileiros como André Santos, Cristian, Elano...

Grand Bazar

São 60 ruas, 4 mil lojas e, sem brincadeira, milhares de pessoas. Um labirinto que tira o rumo e o prumo de qualquer um. Basta entrar no Grand Bazar (1453) para ficar completamente perdido. Joias, casacos, lenços de seda, narguilés, tapetes. Vale pechinchar.

Hotel de luxo

Dormir num palácio otomano e curtir, da piscina, a incrível paisagem do Bósforo. Extravagâncias possíveis apenas no cinco-estrelas Ciragan Palace Kempinski.

Impressionante

O número de visitantes cresce 20% ao ano - só em 2008, foram 8 milhões. Istambul vem recebendo investimentos do governo, com apoio da União Europeia - o país deve entrar no bloco em 2014. E será uma das Capitais Europeias da Cultura em 2010.

Joias

O Museu Arqueológico reúne 45 mil objetos. Você vai ver esfinges, esculturas, mosaicos e sarcófagos, como o de Alexandre, o Grande. Ali também estão relíquias de Troia, Constantinopla e Babilônia.

Kebab

Restaurante Develi, em funcionamento desde 1912, tem a fama de ser a melhor kebaberia da cidade. Mais: www.develikebap.com.

Língua

Atatürk modernizou também a língua oficial do país, hoje falada por 200 milhões de pessoas no mundo. Graças a ele, o turco passou a ter sonoridade árabe e a ser escrito com o alfabeto romano. Para lembrar: nem todos lá falam inglês.

Muezim

O chamado lamentoso dos muezins convoca para a oração. O ritual se repete cinco vezes ao dia nas 2.850 mesquitas de Istambul. A Turquia é um Estado laico e 99% da população é muçulmana. Sem radicalismos. 

Narguilé

O narguilé é a essência da vida turca: nem pense em sair de Istambul sem dar algumas baforadas. Na região de Sultanahmet, há inúmeros narguilé bares.

Otomanos

Os turcos dominaram Constantinopla em 1453. A capital do Império Bizantino e símbolo do cristianismo ruiu. Eles mandaram e desmandaram durante quase cinco séculos. Encheram de minaretes e inscrições islâmicas as igrejas católicas e construíram várias mesquitas, mudando a paisagem, a cultura - e o destino - da atual Istambul.

 

Palácio Topkapi

Quer saber como era a boa vida dos sultões? Entre em cada sala do Palácio Topkapi e depois faça uma visitinha ao harém. Você vai ver tesouros do Império Otomano, entre eles, muitas joias. No harém (ingresso à parte), não deixe de admirar as salas de banho.

Quebra-cabeça

Cada turista encaixa suas peças. Para isso, basta percorrer o bairro de Sultanahmet com a câmera nas mãos. As casinhas e lojas coloridas, as ladeiras estreitas, os bondes: tudo dará belas imagens.

Reina Night Club

Se a noite estiver estrelada, vá ao Reina. O lugar, à beira do Bósforo, funciona primeiro como restaurante. Depois da meia-noite, as mesas dão lugar à pista de dança. E está feita a balada.

Santa Sofia

O museu (na capa da edição) é outro ícone. Foi construído como igreja no século 6.º, mas acabou virando mesquita. Os otomanos colocaram quatro minaretes e cobriram com cal os mosaicos católicos, que só foram revelados em 1993.

Troia

É preciso usar a imaginação na visita a Troia. À beira do Estreito de Dardanelos, uma muralha marcava os limites da cidade. O vento forte, diziam os troianos, trazia a riqueza. Hoje, as ruínas não dão a real dimensão do que foi o lugar. A descrita por Homero seria Troia VI (1800-1250 a.C.).

Ufanismo

Até parece competição. Toda fachada em Istambul exibe bandeiras da Turquia. O que vale é olhar para o horizonte e achar graça na lua e na estrela cobertas de vermelho. Isso, sim, é ser ufanista.

Vale a pena

Nenhuma caloria é tão válida quanto as do rice pudding, ou sütlaç, guloseima que lembra o arroz-doce da vovó. Procure por essa maravilha no Grand Bazar, na Pudding Shop ou no bar da esquina.

Wow

É do alto dos 66 metros da Torre Galata que seu queixo vai cair. A estrutura é uma das mais antigas do mundo e permite visão panorâmica de Istambul.

Xales

Nos bazares, nos shoppings, nas ruas. Impossível ir embora sem comprar xales, lenços e pashminas. Tem de pano, algodão, seda...

Yeni Cami

Só em Istambul uma mesquita de 400 anos poderia ser chamada de nova. A Yeni Cami (New Mosque), perto do porto, foi erguida em 1597. E parece um pouco com a Mesquita Azul.

Zen

Qualquer ser humano merece um banho turco. Os preços são altos e os produtos passam longe da l"Occitane. Mas a massagem esfoliante relaxa demais. As casas de banho turco se chamam hamami. Uma dica: Cagaloglu Hamami: www.cagalogluhamami.com.TR.

Encontrou algum erro? Entre em contato

publicidade

publicidade

publicidade

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.