Itália: comece (ou termine) por Veneza

Queremos viajar de carro pela Turquia. Temos 12 dias disponíveis. É seguro? (Ana Rosa, Piracicaba)

RICARDO , FREIRE, O Estado de S.Paulo

20 Março 2012 | 03h07

Doze dias é pouco tempo para destrinchar a Turquia. As distâncias são grandes: de Istambul à Capadócia são 800 quilômetros, e de lá a Pamukkale, mais 600 quilômetros. O ideal é voar até uma região (primeiro à Capadócia, depois a Izmir) e alugar carro localmente. Estude seu roteiro em turkeytravelplanner.com.

Fevereiro na Europa, 30 dias. Estudei alemão, queria ir à Suíça e à Alemanha, terminando em Amsterdã. (Lucas, São Paulo)

Vai estar no auge do inverno, quando as pequenas cidades morrem, a não ser que sejam centros de esqui. Fique entre 7 e 10 dias na Suíça (Lucerna; Berna para ir a Interlaken; Zermatt), depois curta a vida das metrópoles: Munique (com bate-volta a Salzburgo), Berlim e Colônia antes de Amsterdã.

Boa parte dos problemas de montagem de roteiros pela Itália decorre do fato de muita gente chegar e sair por Milão, sem ter interesse em ficar na cidade. Não é que Milão não valha a pena. Mas, para quem tem pouco tempo (e uma lista grande de lugares na mira), a capital econômica da Itália é uma boa candidata ao corte. Poucos se dão conta, porém, de que não é necessário chegar nem sair por Milão para viajar à Itália. Qualquer companhia aérea que voe à Europa leva você do Brasil a Veneza com apenas uma conexão. Para quem quer dirigir na Itália, usar Veneza e Roma como início e fim do périplo (ou vice-versa) é o ideal: você aluga o carro ao sair da primeira e entrega ao chegar à última, e ainda evita pagar diárias em cidades onde o carro vai estar parado na garagem.

* Acompanhe o caminho do colunista em viajenaviagem.com

Encontrou algum erro? Entre em contato

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.