Paulo Liebert/AE
Paulo Liebert/AE

Itatiaia comemora 75 anos com novidades

FELIPE MORTARA, O Estado de S.Paulo

12 Junho 2012 | 03h09

Encravado entre os Estados do Rio, São Paulo e Minas Gerais, o Parque Nacional do Itatiaia - primeira reserva de proteção total do País - comemora 75 anos nesta quinta-feira. Com o mesmo fôlego dos visitantes que chegam para escalar seus picos, que estão entre os mais altos do Brasil.

A principal novidade é a construção, já em andamento, de um um novo centro de visitantes e um portal na Cachoeira do Escorrega, em Visconde de Mauá, numa antiga área particular comprada recentemente pela administração do parque. A ideia é cobrar ingresso - como já se faz na entrada principal - e passar a oferecer comodidades como banheiro e lanchonete.

Para o diretor do Parque Nacional do Itatiaia, Walter Behr, há motivos de sobra para comemorar. "E este ano também concluiremos a atualização do plano de manejo e as melhorias previstas no Programa Parques da Copa (que injetou verba extra para a conservação), como a obra em Visconde de Mauá", explica.

Só no ano passado, 80 mil visitantes se aventuraram entre as montanhas do Itatiaia, que abrangem mais de 30 mil hectares - o equivalente a quase 47 mil campos de futebol. Boa parte da fama do parque vem das trilhas que levam ao pico das Agulhas Negras e ao Maciço das Prateleiras e das quedas d'água, que agradam mesmo aos aventureiros pouco experientes.

Outra atividade bastante comum por lá é o birdwatching (observação de pássaros). Há mais de 370 espécies, muitas delas endêmicas da Mata Atlântica. Como parte das comemorações pelo aniversário do parque, nesta semana será aberta uma exposição sobre aves da região, com fotos e informações detalhadas, no centro de visitantes.

Confira abaixo, algumas das principais atrações do parque - e comece a planejar seu itinerário.

Chegada. A aventura tem início pela parte baixa, após percorrer uma estrada que sai de Itatiaia (RJ) e leva ao centro de visitantes. Dali partem as trilhas rumo às cachoeiras, caminhadas fáceis, rápidas e divertidas pela mata. Para quem vai pernoitar na região, Penedo, a 20 minutos, é a melhor opção, com várias pousadas e restaurantes.

Cachoeiras. O Rio Maromba despenca 40 metros sobre pedras curiosamente ordenadas, formando o Véu da Noiva, a queda d'água mais famosa da região. Para chegar, uma caminhada de quatro quilômetros desde o centro de visitantes. Sente-se em uma pedra e contemple o visual.

Com acesso menos simples em comparação ao que leva à vizinha famosa - é preciso descer por uma escadaria traiçoeira -, a Cachoeira Itaporani é formada por duas belas quedas d'água que acabam numa piscina verde - e gelada!

Mirante do Último Adeus. Localizado na altura do km 7 da Estrada do Parque Nacional do Itatiaia, a BR-485, o mirante se encontra a 1.250 metros de altitude. Para cada lado que se olhe, surge uma paisagem diferente: o Rio Campo Belo, montanhas, o Vale do Paraíba. Em dias claros, avista-se até a Via Dutra.

Abrigo Rebouças. Guardadas as proporções, está para o Itatiaia assim como o acampamento base está para o Everest. O acesso é feito de carro pela estrada de terra desde Engenheiro Passos, distrito de Resende. É uma pequena casa que oferece hospedagem e camping a preços modestos para os aventureiros que querem alcançar os pontos mais altos. É preciso reservar.

Agulhas Negras. Principal objeto de cobiça dos visitantes do parque nacional - trata-se do quinto cume mais alto do Brasil, com 2.791 metros de altitude. O trajeto de ida e volta até o abrigo leva em média seis horas. O caminho é recomendado apenas a quem tem bom preparo físico - numa escala com cinco graus de dificuldade, o percurso é considerado de nível três.

As subidas íngremes, que podem exigir o auxílio de cordas, são os principais obstáculos. Seja verão ou inverno, agasalho e capa corta vento são fundamentais - lá no alto, o frio não dá trégua. Assim como nas outras trilhas da parte alta, o acompanhamento de guia é obrigatório.

Maciço das Prateleiras. Apesar de mais baixo que o Pico das Agulhas Negras, com 2.548 metros de altitude, exige muita disposição para chegar ao topo. O percurso até a base (1h30 desde o Abrigo Rebouças) pode ser feito por iniciantes, mas atingir o cume requer fôlego e bom controle emocional. A subida até o topo das Prateleiras leva mais 1 hora, com muitos trechos de escalaminhada. Antes de concluir a subida há o famoso Pulo do Gato, fenda profunda de quase 1 metro de comprimento sobre a qual é necessário saltar. Superado o último desafio, é só contemplar o Vale do Paraíba e as Pedras da Tartaruga e da Maçã.

Encontrou algum erro? Entre em contato

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.