Já não restam segredos no deserto de 'Breaking Bad'

Vince Gilligan considera Albuquerque, no Estado norte-americano do Novo México, um personagem de Breaking Bad, série de TV cuja oitava e última temporada começou há 10 dias nos Estados Unidos (no Brasil, o canal a cabo AXN exibe a sétima temporada). Mas o criador do show - cujo protagonista é Walt, um pacato professor de química que passa a produzir drogas quando descobre uma doença incurável - admite que a motivação para filmar na cidade foi financeira. Com o Estado oferecendo incentivos fiscais para filmagens, Gilligan reescreveu o roteiro que, originalmente, se passaria na Califórnia. Abaixo, um bate-papo sobre a região com o criador da série.

EMILY BRENNAN , THE NEW YORK TIMES, O Estado de S.Paulo

20 Agosto 2013 | 02h16

Onde você filmou as cenas no deserto em Breaking Bad?

Para nossa sorte, não precisamos ir longe. Quando Walt tem seus encontros clandestinos ou prepara metanfetamina no trailer, se movemos a câmera para a esquerda ou para a direita dá para ver nosso estúdio. É impressionante quão perto de Albuquerque você pode ficar e ainda assim conseguir um visual de desolação.

Você explorou o Novo México por sua conta?

Eu e minha namorada aproveitamos toda oportunidade que temos para viajar. Fomos a Santa Fé e ali perto há Taos, uma cidade muito bacana, e Madrid, próximo a Trilha Turquoise, uma pequena comunidade de artistas. Eles têm um antigo museu do carvão que eu adoro.

A cerca de 240 quilômetros ao sul de Albuquerque fica uma cidade chamada Truth or Consequences (Verdade ou Consequências). Seu nome era Hot Springs, mas foi renomeada na década de 1950 depois que o programa de quiz televisivo Truth or Consequences propôs num concurso filmar na cidade que topasse trocar de nome. Trata-se de um lugar charmoso onde você pode curtir águas termais. Nós passamos o fim de semana no Sierra Grande Lodge and Spa.

E em Albuquerque mesmo, o que há de interessante?

Eu admito que, quando você entra na cidade, Albuquerque não parece, digamos, cênica, mas um apanhado de shoppings e restaurantes de fast-food. Mas ao chegar nos bairros dá para notar que ela tem cultura e história, além de ser cercada de belezas naturais.

É ótimo dirigir pela Avenida Central. Ela integra a Rota 66, e por ali ainda é possível encontrar motéis com aqueles antigos letreiros de néon. Há uma bela galeria de arte chamada Mariposa Gallery e um restaurante que amamos, o Zinc.

The Sandias, as montanhas ao leste, são onipresentes. Pegue o bondinho até o ótimo restaurante High Finance. A vista é linda, e alcança centenas de quilômetros.

Encontrou algum erro? Entre em contato

publicidade

publicidade

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.