Ricardo Freire/AE
Ricardo Freire/AE

Japão: dois palitos

O Japão é um destino desafiador até para o viajante experimentado. Não há a proteção dos passeios em grupo da China nem a estrutura voltada para o turismo de massa da Tailândia. Mas o choque cultural faz parte da diversão: não existe no mundo lugar mais seguro para se sentir momentaneamente perdido. Aí vai um combinado de dicas para planejar a sua viagem:

Ricardo Freire, O Estado de S.Paulo

04 Agosto 2009 | 02h31

CARO? NEM TANTO

Se você abrir mão de certos luxos ocidentais - como quarto espaçoso de hotel e corridas de táxi - e se dispuser a comer como um japonês de classe média, sua estada no Japão pode ficar mais em conta do que na Europa. Redes de hotéis voltadas para o viajante a trabalho, como a Toyoku Inn (toyoku-inn.com), oferecem quartos pequenos, mas bem resolvidos, com banheiro e café da manhã (japonês) por menos de US$ 100. Restaurantes intimistas sem preço na porta podem levar à falência; em compensação, dá para se virar com pouca grana nos sushis de carrossel (kaiten-zushi), nos restaurantes especializados em udon (sopas) e nas galerias de alimentação das grandes lojas e estações de metrô (experimente o kari-raisu, arroz com curry mais frango ou carne, o PF japonês). Economizando no dia-a-dia, dá para fazer extravagâncias pontuais.

COMECE POR KYOTO

A antiga capital imperial é pequena e facilmente navegável por um estrangeiro. Kyoto entrega de cara tudo o que você espera encontrar no Japão; é a melhor introdução ao país que você pode ter. Se você desembarcar em Narita (Tóquio), são 3h30 de viagem em trem-bala; descendo em Osaka (conveniente para quem viaja via Europa ou Dubai), dá 1h30. Kyoto também serve de base para passeios bate-volta a Nara (50 minutos) e Hiroshima (1h30).

FAÇA UM JAPAN RAIL PASS

É a maior barbada da viagem: pelo preço de uma ponte aérea São Paulo-Rio, você pode cruzar o Japão de trem-bala (japanrailpass.net). O passe de 7 dias consecutivos custa US$ 300; o de duas semanas, US$ 475. Estude o Japan-Guide.com para descobrir destinos pouco conhecidos (dica: procure Mount Koya e Shirakawa-go); depois consulte os horários de trem em Hyperdia.com.

HOSPEDE-SE NUM RYOKAN

Se você só puder fazer uma extravagância, que seja essa: hospedar-se uma noite num ryokan, o hotel tradicional japonês. Você vai dormir no tatame, tomar banho à maneira japonesa e ter um banquete trazido à noite ao seu quarto. Custa entre US$ 200 e US$ 400 - provável valor de um jantar para dois num restaurante de luxo. Escolha e reserve no site JapaneseGuestHouses.com.

TERMINE EM TÓQUIO

Deixe o burburinho de Tóquio para o final, quando você estiver mais escolado. Como regra geral, desencane de achar qualquer lugar que não seja um templo, um parque ou uma loja de departamentos, se você não tiver instruções detalhadas de percurso - e um mapa, com endereço em japonês, para pedir auxílio aos nativos. Os hotéis Toyoko Inn mais bem localizados da cidade são os de Ikebukuro e Shinagawa.

VÁ A HAKONE

Monitore a previsão do tempo e aproveite o primeiro dia ensolarado para fazer o circuito de Hakone, um parque a 1h30 de Tóquio. Você vai andar de trem, barco e teleférico - e, num dia claro, vai ter uma das mais belas vistas do Monte Fuji.

Encontrou algum erro? Entre em contato

publicidade

publicidade

publicidade

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.