Latam/Divulgação
Latam/Divulgação

Latam funde Multiplus e Fidelidade; entenda o que muda

Com Latam Pass, as outras marcas deixam de existir; empresa também anunciou saída da aliança Oneworld

Thiago Lasco, O Estado de S.Paulo

30 de setembro de 2019 | 19h04

A Latam anunciou hoje uma reformulação no seu programa de fidelidade. A companhia aérea fundiu o Latam Fidelidade, seu antigo programa de passageiro frequente, com o Multiplus, programa de recompensas do qual ela já era acionista. Com isso, as duas marcas deixam de existir e nasce o Latam Pass.

Essa é a segunda novidade envolvendo a Latam em menos de uma semana. Na quinta-feira passada, a americana Delta Airlines anunciou a aquisição de 20% das ações da companhia aérea brasileira. Com isso, a Latam irá abandonar a aliança Oneworld. Por enquanto, o negócio ainda depende da aprovação de autoridades governamentais e regulatórias no Chile e nos Estados Unidos, o que levará de 12 a 24 meses.

Veja a seguir o que vai mudar na sua vida com essas duas novidades.

1) Sou inscrito no programa Latam Fidelidade e também cliente Multiplus. O que vai mudar na minha vida?

As plataformas dos dois programas foram unificadas no novo Latam Pass. Com isso, você passa a ter uma única conta (com o seu CPF como número de login) e ver em um único ambiente informações como número de pontos acumulados, extrato de utilização e pontos qualificáveis (que são aqueles que permitem ao usuário alterar seu status de cliente para uma categoria superior). A central de atendimento ao consumidor também passa a ser uma só. Em relação às atuais categorias de status da Latam – clientes Gold, Platinum, Black e Black Signature – nada muda.

2) As compras de passagens com dinheiro e com pontos serão unificadas?

Sim, mas esse processo ainda está incompleto. Hoje, tanto pelo site como pelo novo aplicativo Latam Pass (a atualização para Android e iOS está disponível a partir de hoje), o consumidor já tem um único ambiente que permite compras em reais, pontos ou reais + pontos, mas ele tem de escolher a forma de pagamento antes de iniciar o processo. A partir do primeiro semestre de 2020, com a unificação dos fluxos de compra e pagamento, o cliente poderá escolher a modalidade de compra na primeira ou na última etapa do processo, a do pagamento, combinando livremente reais ou pontos. Se ainda faltarem pontos para o trecho desejado, ele poderá comprar mais milhas, em uma única operação.

3) As formas de acumular pontos vão mudar?

Hoje, é possível acumular pontos pelos seguintes caminhos: gastos com um cartão de crédito que gera milhas; comprando produtos das empresas de varejo parceiras do Multiplus; voando com passagens aéreas da Latam (ou de companhias membro da aliança Oneworld e/ou que tenham acordos com a Latam); ou fazendo a compra direta de pontos. Essas formas de acúmulo continuarão as mesmas. Mas haverá mudanças na quantidade de empresas parceiras (veja resposta à pergunta 4) e também nas companhias aéreas cujos voos renderão pontos para a Latam (veja resposta à pergunta 6).

4) O que muda em relação às empresas parceiras (nas quais é possível fazer compras e gerar pontos)?

A Multiplus tem cerca de 300 empresas parceiras de varejo; na nova Latam Pass, esse número cairá para cerca de 100. O pente fino vai eliminar parcerias que não rendiam muitos pontos, deixar aquelas com valor estratégico maior e incorporar novas empresas. Amazon, Booking.com e Rental Cars são algumas das parcerias recentes. A Latam avalia outras, ainda não divulgadas, nos ramos de combustíveis e supermercados.

5) As passagens aéreas ficarão mais baratas ou caras? A quantidade de pontos necessária para resgatar uma passagem vai mudar?

Ainda não há uma resposta segura para isso. O que a Latam adiantou é que haverá uma coerência maior entre os preços das passagens em reais e em pontos. Se antes havia casos em que um certo trecho saía bem mais caro em milhas do que em dinheiro (ou vice-versa), a ideia da Latam é corrigir essas discrepâncias. Além disso, a empresa promete ter uma política de preços mais agressiva, com promoções mais frequentes. Algumas dessas ofertas serão exclusivas para os clientes mais assíduos da companhia, como forma de recompensar a fidelidade deles.

6) Até quando posso continuar usando pontos da Latam para emitir passagens em outras companhias aéreas membro da aliança Oneworld?

Na última quinta-feira, a Latam apenas anunciou que abandonará a aliança, mas sem uma data definida. Isso será feito dentro de um cronograma, subordinado à aprovação da compra de parte das ações da empresa pela Delta, que levará entre 12 e 24 meses. Por enquanto, nada muda. E, mesmo após a efetiva saída da aliança, a comunicação de pontos entre a Latam e as companhias membro da Oneworld - com exceção da American Airlines - continuará, por meio de acordos bilaterais (veja resposta à pergunta 7).

7) A Delta Airlines é membro da aliança Skyteam. Isso quer dizer que a Latam vai entrar nessa aliança?

Não. A Latam disse que não tem interesse em entrar em nenhuma aliança. Em vez disso, ela vai preferir fazer acordos bilaterais com outras companhias individualmente. Ela já adiantou que manterá acordos com todas as empresas que participam da Oneworld, como British Airways, Qantas e Iberia. (A única exceção é a American Airlines: ela faz parte da Oneworld, mas a Latam não fará acordo com ela, que é concorrente direta de sua nova parceira Delta). Nesse contexto, nada impede que no futuro a Latam também faça acordos bilaterais com companhias que são membro de outras alianças.

Tudo o que sabemos sobre:
LatamDelta Airlinesaviaçãoturismo

Encontrou algum erro? Entre em contato

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.