Londres para crianças

No encalço do urso Paddington, que acaba de chegar aos cinemas, fizemos um roteiro para entreter baixinhos (e, por que não, adultos)

Maria Fernanda Rodrigues, O Estado de S. Paulo

09 Dezembro 2014 | 06h00

LONDRES - Não há nada mais impessoal que as estações de trem de uma grande cidade. Pessoas passam apressadas, sempre atrasadas para chegar ao seu destino. Londres não é diferente. Na mais cosmopolita entre as capitais europeias – e uma das mais visitadas do mundo – multidão e solidão são uma rima constante para quem tenta se encontrar.

Essa visão estrangeira sobre a metrópole, aliada a muito humor e um personagem fofo, é o mote de As Aventuras de Paddington, que estreou nos cinemas na última quinta-feira. A história do ursinho, que deixa a selva peruana em busca de uma vida melhor na capital da Inglaterra, é uma velha conhecida das crianças britânicas graças ao livro do escritor Michael Bond– com a chegada à telona, deve fazer sucesso por aqui também. E pode ser uma bela inspiração para um roteiro voltado a pequenos viajantes. 

A história é a seguinte: o urso vivia no Peru com seus tios, que deram uma boa educação para o sobrinho e fizeram com que ele aprendesse inglês. Quando deixou sua terra e foi parar na estação Paddington, onde a família Brown o encontrou, ele usava uma etiqueta no pescoço com os dizeres: “Por favor, cuide bem deste urso”, uma referência às crianças que deixavam Londres na época da guerra. 

São duas as grandes aventuras: viver entre humanos (ou ter um urso no quarto ao lado) e sobreviver às investidas da vilã taxidermista Millicent (Nicole Kidman), que trabalha no Museu de História Natural e não medirá esforços para tê-lo, embalsamado, em sua coleção. 

Na vida real, os dinossauros do Museu de História Natural são diversão garantida para a garotada. Uma tarde na National Gallery em meio a pinturas pode ser tão divertida quanto um passeio entre as múmias do British Museum. A troca de guarda do Palácio de Buckingham entretém, bem como a visão imponente da London Eye. 

VEJA TAMBÉM: saiba como funcionam os museus londrinos

Londres também se conecta com crianças e adolescentes graças a outros personagens da literatura e do cinema. Peter Pan, Harry Potter e Sherlock Holmes, por exemplo, ganham vida própria na metrópole com exposições e tours especiais.

Ursos por toda parte. Um dos medos do vizinho encrenqueiro dos Browns, Mr. Curry (Peter Capaldi), potencializado por Millicent, é encher a vizinhança com “esses seres estranhos”. Bem, aparentemente, seu medo se concretizou. Até 30 de dezembro, 50 Paddingtons estarão espalhados pelas ruas de Londres, numa espécie de Cow Parade. 

Diversos artistas foram convidados a criar um look diferente para o urso – tem versão embrulhada para presente, zebrada, vestido de astronauta, com as cores do arco-íris... Depois da exposição, assim como o personagem, as estátuas ganharão um novo lar, graças a um leilão beneficente. Para encontrá-los antes que se mudem: visitlondon.com/paddington.

Outra mostra temática, A Bear Called Paddington exibe ilustrações originais, a máquina de escrever usada por Michael Bond, cartas e desenhos enviados por leitores, além de diferentes modelos do urso de pelúcia que retratam a evolução do brinquedo. Em cartaz até 4 de janeiro no Museu de Londres, com entrada gratuita.

VEJA TAMBÉM: Harry Potter, Peter Pan e Sherlock Holmes: personagens saltam dos livros

TRAVESSURAS E RARIDADES

Ela já foi cenário da comédia romântica Um Lugar Chamado Notting Hill, já foi tema de música de Caetano Veloso e é ponto turístico obrigatório na cidade. Mas, para a criançada, Portobello Road é muito mais do isso, e muito mais do que um grande mercado a céu aberto. É ali nas redondezas que mora a família Brown – e onde Paddington apronta suas travessuras.

No filme, ele visita um antiquário em busca de informação sobre o dono do chapéu, herança de seus tios, que é uma de suas marcas registradas. Trata-se de um presente, dado por um explorador que chegou ao Peru e fez amizade com os ursos. Quando parte, de volta à Inglaterra, o estrangeiro faz o convite: “Se vierem a Londres, serão muito bem recebidos”. 

O antiquário é a esperança de Paddington achar o explorador, que pode dar a ele um lar. E é ali que o urso protagoniza uma atrapalhada perseguição a um batedor de carteiras. Que isso sirva de aviso aos viajantes: os furtos são constantes na região.

Quem quiser procurar o tal antiquário, basta começar o passeio pela parte da rua dedicada às antiguidades e artigos de colecionadores (moedas, relógios, chapéus, bibelôs, discos, soldadinho de chumbo, ursinho de pelúcia, bola de golfe, caixinhas, latinhas, etc. etc. etc.), mais próxima da estação Notting Hill Gate. No número 86, fica a Alice’s, uma loja com tudo o que você pode imaginar de artigos para casa que remetem à cultura britânica, cujo exterior serviu de cenário para o antiquário de As Aventuras de Paddington

Para um passeio completo, continue pela rua. Depois das antiguidades, aparecem as barracas de frutas e comida de rua (a de falafel é tradicional por lá; o sanduíche custa 3,50 libras, ou R$ 14, e o prato, 4,50 ou R$ 18); na sequência, as de tranqueiras, roupas usadas e artigos que não são e nem se pretendem antigos. 

Se quiser fugir do agito da rua principal, entre na Blenheim Crescent. No número 4, resiste a simpática livraria Books For Cooks, só com livros de culinária. Andando um pouquinho adiante na mesma rua, verá onde ficava a The Travel Bookshop, que pertencia a Hugh Grant no filme Um Lugar Chamado Notting Hill. A loja original fechou, mas há outra livraria ali com fachada similar, chamada The Notting Hill Bookshop, onde os turistas continuam a posar para fotos.

Garfo e faca. No caminho de volta para o metrô, se você for fã de Jamie Oliver, dê uma paradinha na esquina da estação Notting Hill Gate. Lá funciona o Recipease, loja e café (o sanduíche sai por 4,95 libras ou R$ 20). Outra opção interessante é o Charlie’s, no número 59 da Portobello Road, que valoriza a comida local e o trabalho de pequenos produtores. Lá, são servidos café da manhã, almoço e lanche. Um prato com linguiça, ervilhas, purê de batatas e molho de cebola custa 8,95 libras (R$ 36). Pelo mesmo valor é possível tomar a sopa do dia (geralmente de batata, alho-poró ou tomate em qualquer lugar que você vá) e experimentar um dos sanduíches – o de salmão defumado é um dos mais tradicionais.

*A repórter viajou a convite do Visit Britain.

Encontrou algum erro? Entre em contato

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.