Longa travessia pelo interior de Nova York

Talhada no coração selvagem do Estado de Nova York, a Rota 28 tem o formato de um tortuoso C rabiscado por uma criança pequena correndo de norte a sul, saindo das Adirondacks até chegar às Catskills. Rápida a viagem não é: o passeio de duas horas de Warrensburg a Kingston pode demorar até três vezes mais pela via.

O Estado de S.Paulo

28 Agosto 2012 | 03h10

Mas os prazeres da viagem a justificam. Ao norte, a Rota 28 passa perto de lagos como o George e estações de esqui como Gore (goremountain.com). A parte próxima das Adirondacks (foto) cruza as águas agitadas do Rio Hudson. Mais ao sul, a via passa por nascentes de água doce e pequenas cidades de nomes clássicos como Utica e Rome. Então chegamos a Cooperstown, lar do Hall da Fama e Museu Nacional do Beisebol, onde lendas como Mickey Mantle, Willie Mays e George Herman Ruth são homenageados.

A partir dali, a estrada passa por celeiros vermelhos, pastos verdes, picos brancos, ocasionais campos abandonados ou fazendas em ruínas, e as cascatas de Colliers Dam. Depois de cruzar a Interstate 88, a Rota 28 se torna uma autopista feita para motoristas, ampla e inclinada. Parte da graça está em não saber o que há depois da próxima curva. Uma das surpresas é o Andes Hotel (andeshotel.com), fundado em 1850, que ainda oferece hospedagem e bebida, com beberrões ocupando animados a varanda frontal do hotel.

Os trechos finais acompanham o Córrego Esopus, afluente do Hudson cujas águas têm muito mais força do que o nome sugere. Um conhecido segredo partilhado pelos locais e por aqueles dispostos a percorrer o caminho mais longo. / KIM SEVERSON, NYT

Encontrou algum erro? Entre em contato

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.