Nice Tourisme
Nice Tourisme

Lugares para conhecer o legado russo em Nice

Icônico balneário da Riviera Francesa, Nice guarda em sua arquitetura as heranças dos czares, que chegaram à região no século 19

Larissa Godoy, Especial para O Estado de S. Paulo

05 Setembro 2017 | 04h44

NICE - As abóbadas azuis-esverdeadas e os crucifixos dourados dividem espaço no horizonte com casas e árvores. Afinal, é impossível passar despercebido pela Catedral Ortodoxa Russa Saint Nicolas. Como a Catedral de São Basílio, na Praça Vermelha, em Moscou, as cúpulas brincam de altura e forma, umas mais altas, outras triangulares, com seus respectivos jogos de cores marcantes. Mas a diferença é que a Catedral Saint Nicolas fica em Nice, no coração da Riviera Francesa. 

Quase 351 mil habitantes vivem no icônico balneário, hoje a quinta cidade mais populosa da França. Entre seus atributos, destacam-se os predicativos do estilo de vida francês, que prima por um ritmo de vida mais tranquilo, a boa mesa e, claro, a localização à beira-mar. É fácil se envolver pela mediterraneidade de Nice. E foi isso que atraiu os russos. 

A família imperial chegou em 1856, quando Nice ainda fazia parte da Itália – mais precisamente do Reino da Sardenha. Derrotados na Guerra da Crimeia, eles procuravam um porto no Mediterrâneo para abrigar seus barcos, até então interditados no Mar Negro. O primeiro passo foi conseguir o apoio do rei Victor Emmanuel, que lhes deu a autorização para permanecer em Nice. Depois, com a chegada da via férrea à cidade, vieram cada vez mais russos.

Palácios monumentais foram construídos para acomodar os membros da comitiva do czar Alexandre II, assim como um hotel luxuoso para receber a família imperial. Ao mesmo tempo, o apelo popular, aliado à religiosidade da Imperatriz Marie Feodorovna, fomentava a construção de uma grande igreja ortodoxa.

Pouco a pouco, muitos aspectos da cultura russa foram incorporados a Nice. Mas nem todos são tão facilmente identificáveis quanto a Catedral Saint Nicolas. Conheça alguns deles no roteiro a seguir.

 

Catedral Saint Nicolas

Finalizada em 1912, a catedral ortodoxa faz parte do patrimônio russo na cidade. Além dos cultos, é possível fazer visitas guiadas em francês, inglês e japonês (€ 10 ou R$ 37), diariamente, às 14 horas (exceto aos domingos). No tour, com 45 minutos de duração, consegue-se ver a decoração interna de afrescos, com detalhes esculpidos em madeira.

Parc Impérial

2 Avenue Paul Arène

Bem próximo à catedral, o prédio foi construído em 1899, com a função original de ser um hotel de luxo, onde se hospedou a família real russa. Após o fim da Primeira Guerra Mundial, a crise assolou palácios de luxo da costa da Riviera, incluindo o Parc Impérial. Assim, o Conselho Municipal de Nice decidiu comprar o prédio, que se transformou no colégio de ensino secundário Lycée Parc Impérial. Não é aberto para visitação – mas vale passar em frente para ver sua bela arquitetura de época. 

Château et Parc de Valrose

Desde 1961, o palácio serve como espaço para a Faculdade de Ciências de Nice e a Universidade de Nice Sophia Antipolis. Antes de sua vocação educacional, no entanto, o Château foi lar do Barão Paul Georgevitch Von Derwies, um magnata ferroviário russo. Para ele, Valrose funcionou como um refúgio para passar a sua rica e artística aposentadoria. Prova disso é a escolha do local da construção, afastado dos demais aristocratas russos e a composição do complexo, com salão de música, teatro e um belíssimo parque.

Os prédios não são abertos ao público, mas o parque pode ser visitado, embora não seja oficialmente turístico. Organize a visita para o período escolar, de segunda a sexta-feira, e você conseguirá ver os jardins projetados por Joseph Carlès, o mesmo designer que cuidou dos jardins do Casino de Monte Carlo, em Mônaco. 

Museu Marc Chagall

Do Parc de Valrose dá para ir a pé até o Musée Marc Chagall (€ 8 ou R$ 30), numa caminhada de 20 minutos. Como o nome sugere, o museu é destinado a Marc Chagall, um russo que dedicou a vida para a arte sacra. Ali está a maior coleção pública do artista. São mais de 400 pinturas, com destaque para os 12 quadros que ilustram os dois primeiros livros do Velho Testamento: Gênesis e Êxodo. 

Restaurante Tchekhov 

O restaurante familiar, especializado em pratos tradicionais russos, fica a apenas 10 minutos da Place Massena, em uma travessa da Jean Médecin, a principal avenida da cidade. Entre as especialidades, borsh (sopa de beterraba servida de entrada), pelmeni (massa parecida com o ravióli italiano) e, para terminar, tort-muravejnik, espécie de bolo formigueiro queridinho entre as crianças. Para acompanhar, peça o kvass, bebida milenar típica, similar à cerveja. Não tenha pressa: o atendimento pode ser um pouco vagaroso. Ainda assim, é uma ótima maneira de terminar seu roteiro russo em Nice.

Encontrou algum erro? Entre em contato

publicidade

publicidade

publicidade

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.